Venda de fertilizantes cai 1,20 ponto; preços estão abaixo dos registrados em 2017

De acordo com a Mosaic Fertilizantes, os insumos estão com preços abaixo do registrado desde 2017.

18/08/2021

Venda de fertilizantes cai 1,20 ponto; preços estão abaixo dos registrados em 2017 Preço da soja volta a subir na Bolsa de Chicago e aumenta negócios (Foto: Embrapa)

Os produtores brasileiros compraram menos fertilizantes em julho, segundo a Mosaic Fertilizantes em entrevista ao site MoneyTimes. Mesmo com forte demanda, baixa oferta internacional e o recuo nos preços dos grãos, como soja e milho, provocam esse cenário.

A empresa diz que os fertilizantes estão com preços abaixo do registrado em 2017, ano base de comparação. No mês passado o Índice de Poder de Compra de Fertilizantes (IPCF) atingiu 1,20 ponto, ante a 0,90 ponto e 2020.

Segundo informa o MoneyTimes, “o cálculo do IPCF leva em consideração a relação entre os preços de fertilizantes e as cotações de alguns dos principais produtos agrícolas brasileiros soja, milho, açúcar, etanol e algodão”.

Em nota, a Mosaic afirma que “em julho, houve uma maior estabilidade do câmbio e apreciação dos preços das duas principais commodities do índice soja e milho”.

“No entanto, o mercado de fertilizantes continua firme em função de uma demanda internacional aquecida e restrições do lado da oferta acentuadas por perdas de produção na América do Norte”. As informações foram prestadas ao MoneyTimes.

Ainda assim, a produtora de fertilizantes vê perspectivas favoráveis, diante da recuperação econômica e dos baixos estoques no resto do mundo. Por isso, a empresa acredita no aquecimento na compra de insumos, incluindo fertilizantes. Ela também registra que há aumento da área plantada e a melhora da produtividade com o uso de tecnologia.

O vice-presidente Comercial da Mosaic, Eduardo Monteiro, disse à publicação econômica que “apesar das oscilações, é válido destacar que a rentabilidade das principais lavouras continua positiva, estimulando o investimento em tecnologia. O Brasil deverá colher em 2021/22 mais uma safra recorde de grãos e também deverá embarcar um volume recorde de fertilizantes”.

Da Redação (com informações de MoneyTimes)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *