Greve dos caminhoneiros: paralisação perde força e rodovias federais são liberadas

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

10/09/2021

A paralisação dos caminhoneiros perdeu força e desde quinta-feira (09) à noite não há pontos de interdição em rodovias federais.

  • Leia mais: Diesel dispara e governo tem pouco espaço de ação

Segundo dados do Ministério da Infraestrutura divulgados às 7h30 desta sexta-feira (10), com base em informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), apenas três Estados seguem com pontos de concentração com abordagem a caminhoneiros: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rondônia.

Nos Estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santos e Paraná não há mais qualquer ponto de retenção na malha federal. Há aglomerações sem prejuízo ao livre fluxo de veículos no Mato Grosso e no Pará.

Ontem, lideranças dos caminhoneiros se reuniram por cerca de três horas com o presidente Jair Bolsonaro, depois de articularem por dois dias seguidos bloqueios em rodovias, e afirmaram que o alvo dos protestos é o STF. As lideranças afirmaram que não receberam do presidente o pedido para que cessassem as paralisações e bloqueios em rodovias e afirmaram que os protestos não estão relacionados com o preço dos combustíveis e reforçaram o apoio ao presidente.

No entanto, o movimento já estava enfraquecido e perdeu ainda mais força com a divulgação da “Declaração à Nação” por Bolsonaro ontem à noite.

Esplanada dos Ministérios

Além da suspensão dos pontos de bloqueio nas rodovias federais, o trânsito de veículos na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, foi liberado no início da tarde desta sexta-feira, por volta de meio dia, segundo informou no início desta tarde de hoje a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal. O local era ocupado nos últimos dias por caminhoneiros e manifestantes apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

“Ainda há manifestantes na região, que estão saindo voluntariamente. A previsão é que deixem o local até o final do dia de hoje”, informou o governo local, em nota.

O acesso à Praça dos Três Poderes, onde estão o Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal (STF), segue restrito – protegida por grades e monitorado por policiais militares.

A secretaria informou que, embora os manifestantes tenham começado a deixar o local, a área central de Brasília “permanece sob monitoramento” das forças de segurança locais, por meio do Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob) e equipes em campo. “O objetivo é garantir a segurança de todos que circulam na região. O policiamento permanece reforçado”, registrou.

Ainda de acordo com a secretaria, as negociações para retirada de estruturas e veículos da Esplanada dos Ministério tiveram início na tarde de quarta-feira. As equipes de segurança pública envolvidas na operação contam com representantes da secretaria, das Polícias Militar e Civil do DF, do Corpo de Bombeiros Militar e do Departamento de Trânsito do DF (Detran), que permanecerão no centro de operações “até a completa desobstrução” da Esplanada dos Ministérios.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *