Bolsonaro envia áudio pedindo aos caminheiros o fim dos bloqueios em rodovias

O áudio foi enviado na quarta-feira (8) à noite e sua autenticidade confirmada aos caminhoneiros pelo ministro a Infraestrutura, Tarcísio de Freitas

09/09/2021

Bolsonaro envia áudio pedindo aos caminheiros o fim dos bloqueios em rodovias Bloqueios de caminhoneiros ganharam força nesta quarta (8). (Foto: Agência Brasil)

Mensagem em áudio enviada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aos caminhoneiros que encerrem paralisação em rodovias em 16 estados brasileiros, para evitar prejuízos na economia. Os caminhoneiros querem que o Senado Federal analise pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federa (STF), Alexandre de Moraes. Eles não concordam com sentenças proferidas por Moraes.

Ao portal Uol, o ministro da Infraestrutura, Tarciso de Freitas, disse que o áudio é verdadeiro. Na mensagem, o presidente diz: “Fala para os caminheiros aí, são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo, em especial os mais pobres. Então, dê um toque aí para os caras, se for possível (sic) para liberar, pra gente seguir a normalidade (sic)

Tarcísio de Freitas teve de intervir e dizer que o áudio é real e foi feito ontem. A princípio, os caminhoneiros não acreditaram. A paralisação nas rodovias começa a atrapalhar o fornecimento de insumos e matéria prima para os setores de serviço, comércio, indústria e agronegócio. Na quarta-feira (8) os postos de combustíveis de Santa Catarina começaram a ficar sem gasolina e se formaram longas filas para garantir o abastecimento.

O ministro disse que a paralisação cria um problema e não resolve o outro. Tarcísio diz que o presidente, no áudio, diz que “a solução vai acontecer através do diálogo entre as autoridades”

O portal Uol relata que nesta quinta (9) 117 bloqueios em rodovias de 16 estados. Os bloqueios começaram na terça (7), durante as manifestações do Dia da Independência, e seguiam nesta quarta-feira (8). A liderança do movimento, que não é ligado a nenhuma entidade da categoria, Francisco Bugardt, disse que vai entregar nesta quinta-feira (9) um pedido de cassação dos ministros do STF. As demandas, portanto, não são objetivos específicos da categoria.

Até a noite desta quarta-feira a paralisação atingia os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia. Maranhão, Roraima, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Pará. A paralisação preocupa especialmente as distribuidoras de combustíveis. Elas temem que o estoque nos postos dure apenas 12 horas em todo o país.

Os caminhoneiros acreditam que os ministros do Supremo, especialmente Alexandre de Moraes, usam as sentenças para fazer oposição ao presidente Jair Bolsonaro. As sentenças que eles contestam foram pedidas pela Procuradoria Geral da União (PGR).

Leia também:
Bloqueios em rodovias não atingem frigoríficos e processadores de carne
Líder da paralisação de caminhoneiros em 2018 diz que ato ainda pode crescer

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *