Baixos preços no mercado interno diminui matrizes suínas na China

A China tinha 422,53 milhões de cabeças no final de março, uma queda de 5,9% em relação ao mês anterior, mostram os dados

29/04/2022

Baixos preços no mercado interno diminui matrizes suínas na China Diminui matrizes suínas na China (Foto: Agência Brasil)

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informa que o rebanho de porcas matrizes na China caiu 3,3% no final de março. São 41,85 milhões de cabeças, informa o site especializado em economia MoneyTimes, nesta sexta-feira (19). Em relação ao mesmo período do ano anterior, a contagem diminuiu 3,1%.

O rebanho total de porcos na China foi de 422,53 milhões de cabeças no final de março. Queda de 5,9% em relação a fevereiro.

É uma boa informação para a suinocultura brasileira. A China e o maior país importador dessa proteína brasileira e vem diminuindo os embarques.

O problema é do mercado doméstico Chinês. Os baixos preços praticados no próprio mercado interno desestimulam a produção local. Recentemente, os preços voltaram a subir. Há uma expectativa de menores quedas na produção local.

Para tentar sustentar os preços, o governo chinês vem estocando o produto. Uma tentativa de manter os preços e as margens de lucro para estimular a produção local.

A carne suína é a proteína animal mais consumida no país asiático.

 

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.