Atividade de serviços segue em expansão no Brasil, diz IHS Markit

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

05/10/2021

O Índice de Gerente de Compras (PMI) de Serviços da IHS Markit para o Brasil ficou em 54,6 pontos em setembro, ligeiramente abaixo dos 55,1 em agosto, e ainda sinalizando expansão acentuada no índice de produção de serviços, diz boletim da consultoria. As empresas atribuíram a elevação ao abrandamento das restrições da covid-19 e à melhora da demanda subjacente.

De acordo com os participantes da pesquisa, diz a IHS, com o recuo da pandemia e a melhora no acesso às vacinas, os consumidores ficaram mais confiantes em sair de casa e gastar, em meio a uma redução nas preocupações com saúde e segurança.

As condições de negócios no setor de serviços brasileiro permaneceram favoráveis em setembro, aponta a consultoria, com o crescimento sustentado do índice de novos pedidos fundamentando uma nova expansão da produção e das contratações. No entanto, um aumento substancial nos custos de insumos continuou sobrecarregando as despesas das empresas e elevou o índice de preços cobrados pela prestação de serviços. Em ambos os casos, as taxas de inflação atingiram recordes da pesquisa, aponta o boletim.

A elevação dos preços de alimentos, combustíveis, equipamentos de proteção individual (EPI) e materiais empurrou a taxa geral de inflação dos preços de insumos para um novo recorde em setembro, destaca a pesquisa. Todas as cinco grandes áreas da economia de serviços registraram aumentos acelerados nas despesas, com os aumentos mais acentuados evidentes em serviços ao Consumidor e transporte e Armazenamento.

PMI Composto

Também mostra crescimento o índice consolidado de gerentes de compras da indústria e serviços (PMI Composto), que ficou em 54,7 em setembro, com pouca mudança de 54,6 em agosto, destacando assim um ritmo acentuado de expansão, aponta a IHS. As vendas do setor privado aumentaram ainda mais, levando a atual sequência de expansão para cinco meses. A taxa de crescimento diminuiu em relação a agosto, mas permaneceu sólida e acima da média de longo prazo, destaca o boletim. Além disso, diz a consultoria o aumento foi disseminado nos setores de produção e de serviços.

As melhorias constantes na demanda continuaram sustentando a criação de empregos no setor privado, diz a divulgação. O aumento mais recente nos postos de trabalho foi acentuado e o segundo maior em onze anos e meio. As indústrias registraram uma taxa de expansão mais rápida do que os prestadores de serviços, aponta a IHS, que novamente chama a atenção para os efeitos inflacionários.

“Embora as pressões inflacionárias no setor industrial tenham diminuído, elas aceleraram na economia de serviços. Como resultado, a taxa agregada de inflação dos preços de insumos atingiu o pico da pesquisa em setembro. Da mesma forma, a inflação da produção no nível composto aumentaram a uma taxa sem precedentes”, diz o boletim.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *