Moraes autoriza PF a dar sequência a depoimentos sobre suposta interferência na instituição

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

23/08/2021

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a Polícia Federal (PF) a dar seguimento aos depoimentos no inquérito que investiga se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir politicamente na corporação.

Na sexta-feira, o delegado Felipe Alcântara Leal comunicou o ministro que iria retomar as diligências, mas questionou se era necessário manter um rito adotado pelo então decano Celso de Mello, que era o relator do caso.

Na ocasião, Celso de Mello autorizou a Procuradoria-Geral da República (PGR), a Advocacia-Geral da União (AGU) e os advogados do ex-ministro Sergio Moro a terem acesso ao conteúdo da gravação de uma reunião ministerial, considerada peça-chave do processo, para que eles pudessem orientar a formulação de perguntas durante os depoimentos.

Moraes então autorizou o delegado a proceder com as oitivas sem a necessidade desse trâmite, por entender que elas diziam respeito tão somente à inquirição das testemunhas que seriam ouvidas naquele momento da investigação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *