Ministério da Agricultura lança campanha para promover alimentos orgânicos

Ação visa ampliar escala do setor, que cresceu 450% em 12 anos

23/05/2022

Ministério da Agricultura lança campanha para promover alimentos orgânicos Desperdício de alimentos é obstáculo para o aumento da produção. (Foto: Agência Brasil)

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) tem usado o slogan “Produto Orgânico é o Melhor para a Vida”, com o intuito de incentivar a produção, o cadastramento e o consumo dos produtos orgânicos produzidos no Brasil. Com a mesma finalidade, está promovendo a XVIII Campanha Anual do Produto Orgânico, com eventos em todo o país para mostrar as características do produto orgânico e como é feito o controle de qualidade.

Em 12 anos, os produtores orgânicos aumentaram a produção do setor em 450% por todo o país. Em 2022 são 26 mil regularizados no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos (CNPO).

O Mapa trabalha para que a produção de orgânicos no Brasil ganhe escala sem perder as características, como a sustentabilidade.

De acordo com o diretor do Departamento de Serviço Técnicos, José Luís Ravagnani, agora é o momento de internacionalizar a produção nacional. De acordo com José, já há acordo com o Chile para receber nossas exportações.

O Mapa decidiu apoiar os produtores com assistência técnica. São 7,8 mil produtores que terão contratos de gestão com o Ministério e a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater).

São 1.605 famílias, dos estados de Amazonas, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Sergipe e Rio Grande do Norte, integrantes da Organização de Controle Social que efetuam a comercialização de produtos orgânicos em venda direta.

Produto orgânico

O produto orgânico é aquele obtido dentro de um sistema orgânico de produção agropecuária – ou extrativista sustentável – que beneficie o ecossistema local, proteja os recursos naturais, respeite as características socioeconômicas e culturais da comunidade local, preserve os direitos dos trabalhadores envolvidos e não utilize organismos geneticamente modificados nem químicos sintéticos.

Para serem comercializados, precisam do certificado de um organismo credenciado no Ministério da Agricultura. Só recebem o certificado aqueles produtores que estão cadastrados no Mapa.

 

Da Redação, com Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.