China é a maior importadora de carne bovina brasileira em outubro

Na comparação com outubro de 2020 as exportações para o país asiático despencaram, mas eles continuam comprando processados

09/11/2021

China é a maior importadora de carne bovina brasileira em outubro Duas entidades de pecuaristas norte-americanos pediram que o país pare de importar a carne brasileira (Foto: Divulgação)

Nem a suspensão da exportação de carne para a China, impediu que o país continuasse o maior comprador de carne bovina brasileira, informa o site CarneTec. A cidade estado de Hong Kong comprou em outubro 19,46 mil toneladas e a China Continental outras 8,23 mil toneladas. São 25,5% de toda a exportação do produto no mês. Dia 4 de novembro fez dois meses que as exortações foram interrompidas.

Segundo os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), confirmados pela Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), as 27,7 mil toneladas em outubro para a China, são consideradas “residuais”, mas foi o suficiente para manter a China no topo do ranking dos maiores importadores da nossa carne.

Mesmo “residual”, a carne que chegou na china é quase o dobro das compras do segundo e terceiros colocados. O Chile comprou 13,5 mil toneladas e os Estados Unidos, 13,4 mil. Na verdade, mesmo somando as compras dos dois países, ainda fica distante do que a China comprou.

Mesmo diante dessa informação, as exportações para o país asiático despencaram. Em outubro de 2020 a China comprou do Brasil 109,1 mil toneladas. Para o site CarneTec, desta vez, efetivamente setor o sentiu a falta da venda da carne para os chineses.

As exportações de carne bovina para a China foram suspensas dia 4 de setembro após a constatação de dois casos da doença da vaca louca (Encefalopatia Espongiforme Bovina – EEB) em Minas Gerais e no Mato Grosso. Um acordo fitossanitário entre o Brasil e a China provocou a interrupção das exportações. O Brasil esperava que elas fossem retomadas, o que ainda não aconteceu.

O tipo de carne

O CarneTec procurou saber qual é a carne “residual” tardia que entrou na China? É carne comprada antes da suspensão e que continuaram a chegar no país ou são novas compras e, desta forma, a China estaria comprando? Ouviu de um especialista que não pôde se identificar, que a carne está entrando por Hong Kong e, a maior pare, de miúdos e processados e que isso pode ser uma interpretação diferenciada da Aduana da cidade: “O que pode estar havendo é uma interpretação por parte de Hong Kong de que estes produtos não entram na restrição, que vale mais para a carne in natura.”

Segundo a mesma fonte, em 2010, quando as compras foram suspensas por causa da aftosa em Minas Gerais, Hong Kong continuou comprando, “embora as quantidades daquela época fossem pequenas perto do que a China movimenta hoje em dia”. Desta vez, no entanto, não só a cidade estado, mas o próprio continente mantém as compras. .

Para essa fonte ouvida pelo site especializado, “isso é meramente especulativo porque ainda não há informações oficiais chinesas sobre essa movimentação de 27,7 mil toneladas. Há, sim, o registro da Secex de que 27,7 mil toneladas foram de fato exportadas para a China em outubro”.

A conclusão é que a China continua comprando e, ao mesmo tempo, se mantém como a maior importadora do produto. A carne processada comprada hoje, tem maior valor agregado e o setor considera um bom sinal.

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *