Itália autoriza dose de reforço da vacina contra a covid-19

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

10/09/2021

A agência reguladora de medicamentos da Itália autorizou nesta quinta-feira (9) a aplicação da dose de reforço da vacina contra a covid-19 em uma parcela da população.

LEIA MAIS:

  • Vacina Pfizer: Eficácia, reações mais comuns e outros dados importantes
  • Tensão com Doria cresce e Ministério da Saúde já descarta Coronavac para reforço na vacinação em 2022
  • Falta AstraZeneca em todo Estado de SP, que cobra 1 milhão de doses da Saúde

Segundo a recomendação do órgão, idosos, pessoas com o sistema imunológico comprometido ou que receberam transplantes recentemente, além de profissionais de saúde que fazem parte de grupos de risco para a covid-19, devem tomar o reforço vacinal.

Antes mesmo do aval do órgão regulador, autoridades italianas sinalizaram que a campanha já devia começar no fim de setembro. O calendário será definido nos próximos dias pelo Ministério da Saúde do país.

Pessoas com o sistema imunológico comprometido ou que passaram por um transplante de órgãos recentemente receberão o reforço 28 dias após a segunda dose. O intervalo para o restante do público-alvo será de pelo menos seis meses, de acordo com a agência reguladora.

Apenas as vacinas que utilizam a tecnologia de mRNA — Pfizer/BioNTech e Moderna — serão utilizadas na campanha da Itália, que também está aplicando os imunizantes da AstraZeneca/Oxford e da Johnson & Johnson na população.

Quase 63% da população do país está totalmente vacinada contra a covid-19, segundo dados do site Our World in Data, que acompanha as campanhas de imunização em todo o mundo. Cerca de 72% dos italianos já receberam pelo menos uma dose da vacina.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *