Ministra Tereza Cristina deve solicitar mais de R$ 3 bi para retorno de linhas subsidiadas

A informação é do presidente do CRA do Senado, Acir Gurgacz, que leu uma carta da ministra da Agricultura nesta quinta-feira, no Show Rural Coopavel.

10/02/2022

Ministra Tereza Cristina deve solicitar mais de R$ 3 bi para retorno de linhas subsidiadas (Foto: Divulgação)

Nesta quinta-feira (10), o presidente da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), senador Acir Gurgacz (PDT-RO), leu uma carta da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, em que ela diz que a interrupção nas contratações de financiamentos do Plano Safra é temporária e que deve solicitar ao Congresso Nacional recursos extras de mais de R$ 3 bilhões no Orçamento, de modo a permitir tanto o retorno das contratações do crédito rural quanto as medidas para socorrer os agricultores e pecuaristas atingidos pela seca na Região Sul e excesso de chuvas em outras regiões.

A carta foi lida no Show Rural Coopavel, em Cascavel. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, não pôde participar do evento por ter sido diagnosticada com covid-19.

Na nota, Tereza Cristina diz que a Secretaria do Tesouro Nacional, responsável pelos recursos da União, enviou comunicação às instituições financeiras que operam com o crédito rural, determinando a suspensão, até o final de fevereiro, de novas contratações de financiamentos subvencionados.

Segundo a nota enviada pela ministra, o governo está remanejando valores entre as próprias linhas de financiamento do Plano Safra atual e deve solicitar ao Congresso Nacional recursos extras de mais de R$ 3 bilhões no Orçamento, de modo a permitir tanto o retorno das contratações do crédito rural quanto as medidas para socorrer os agricultores e pecuaristas atingidos pela seca na Região Sul e excesso de chuvas em outras regiões.

Acir Gurgacz reforçou que Tereza Cristina pediu R$ 375 milhões a mais para a equipe econômica, no intuito de se chegar ao R$ 1,3 bilhão prometido para o seguro rural das culturas de soja e milho desta safra de verão, a chamada safrinha, “visto que, até o momento, apenas R$ 870 milhões foram destinados para subvencionar o programa”.

“Conversei com a ministra Tereza Cristina, que era para estar hoje aqui conosco na Show Rural Coopavel e não pôde viajar, mas está tratando deste assunto com a equipe econômica, do qual aguardamos um bom desfecho. O ministro da Economia [Paulo Guedes] precisa cumprir o prometido, liberando o valor restante previsto para o seguro rural da safrinha, que são os R$ 375 milhões”, cobrou o senador.

Fonte: Canal Rural (com informações da Agência Estado)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.