Ibovespa ganha força e marca 113 mil pontos após Fed e com commodities

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

22/09/2021

O alívio trazido pelo abrandamento da crise envolvendo a incorporadora chinesa Evergrande contamina positivamente o Ibovespa no pregão desta “Super Quarta”, que conta com as decisões do Federal Reserve (Fed) e do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre política monetária.

Por volta das 15h30, o Ibovespa avançava 2,61%, aos 113.126 pontos. Usiminas PNA subia 10,06%, CSN ON ganhava 2,64%, Gerdau PN avançava 6,96% e Vale tinha valorização de 3,93%.

O dólar comercial, por sua vez, recuava 0,36%, cotado a R$ 5,2641.

Entre as maiores companhias do Ibovespa, Petrobras ON ganhava 4,02% e Petrobras PN aumentava 3,57%. Os bancos também demonstram tendência altista, com Itaú PN subindo 2,65%, Bradesco PN ganhando 2,30%, Santander units avançando 2,63% e Banco do Brasil ON saltando 3,13%.

Mas, apesar do alívio instantâneo após sinais de que a Evergrande pode cumprir seus compromissos de curtíssimo prazo, analistas entendem que o cenário continua complexo para as empresas exportadoras.

“O mercado está calmo hoje porque já está claro o que a China vai fazer no curto prazo, que é impedir o ‘default’ (calote) da Evergrande. O grande receio era a empresa ser abandonada pelo governo e criar um problema sistêmico. No médio prazo, as coisas não são tão simples assim”, diz Rodrigo Franchini, sócio da Monte Bravo.

“A questão do minério é diferente, porque precisa haver demanda no mercado. Este problema não foi resolvido, e nem vai ser. A China precisa recompor suas reservas, mas vai comprar em menor medida, porque a economia vai crescer menos. Por isso, esse curto prazo diz muito mais sobre uma redução no risco do crédito.”

Na mesma linha, um relatório do Bank of America rebaixou a Vale de compra para neutra. O banco diz que o crescimento da China é decepcionante e a política de aço do país, com cortes forçados na produção, diminui a demanda por minério de ferro e está conduzindo a uma grande correção de preços.

“A alta dos mercados pós-covid sustentada pelas commodities chegou ao fim”, diz outro parecer da instituição. O BofA vê, por outro lado, uma manutenção dos fundamentos de preços do alumínio para 2022 e 2023.

Depois da decisão do banco central americano, os agentes financeiros devem acompanhar ainda hoje o anúncio do Comitê de Política Monetária (Copom), que por sua vez deve subir a taxa Selic em 1ponto percentual, e em Brasília. O mercado busca ainda mais elementos para precificar a questão do pagamento dos precatórios, que pode avançar após acordo entre Executivo e Legislativo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *