Suspensão das exportações de carne bovina diminui abates no Mato Grosso

O fluxo de animais para os frigoríficos caiu, segundo o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária

22/09/2021

Suspensão das exportações de carne bovina diminui abates no Mato Grosso Mato Grosso sente os efeitos e anuncia queda nos abates bovinos e setembro (Foto: Agência Brasil)

O Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) informou ao CarneTec que após a descoberta de dois casos atípicos da doença da vaca louca no Brasil e a suspensão das exportações de carne bovina para a China o estado pode abater menos cabeças em setembro.

Relatório do Imea com projeções para setembro, informa que “para o próximo mês, a paralisação das exportações pode influenciar para uma redução no volume de animais encaminhados ao abate”.

A suspensão das exportações foi automática após o anúncio dos dois casos atípicos de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), conhecida como doença da vaca louca, O Brasil e a China assinaram um protocolo que torna a ação automática em caso de detecção da doença. Outros países, como a Rússia, também suspenderam as importações. A Arábia Saudita liberou.

Em agosto o Mato Grosso havia aumentado o abate no estado em 4,18%, chegando a 449,37 mil animais. Comparado aos abates do mesmo mês de 2020 houve queda de 8,49%, segundo o Indea-MT.

O abate de machos em agosto colaborou para o avanço de 17,75%, na comparação com o mês anterior. O Mato Grosso abateu 298,66 mil machos no mês.

O relatório do Imea afirma que “essa alta esteve pautada, principalmente, pela maior entrega de animais do primeiro giro de confinamento, uma vez que o abate de machos de 12 a 24 meses demonstrou incremento de 55,5% no comparativo mensal”. O abate de fêmeas teve queda de 7,54% ante a julho, a 150,71 mil cabeças.

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *