Senadores reagem a desfile de blindados às vésperas de análise do voto impresso

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

09/08/2021

Senadores reagiram à informação de que as Forças Armadas levarão às imediações do Palácio do Planalto, amanhã, um desfile de carros blindados, aeronaves, lançadores de mísseis e foguetes, totalizando 150 veículos. Esse desfile ocorrerá, coincidentemente, durante votação da PEC do voto impresso na Câmara dos Deputados.

A demonstração foi determinada pelo presidente Jair Bolsonaro, segundo apurou o Valor, e irá simbolizar a entrega de convite ao presidente para acompanhar exercícios da “Operação Formosa”, executada pela Marinha desde 1988, em Goiás. O convite à Presidência da República e outras autoridades ocorre sempre que há o treinamento, mas geralmente a entrega é feita em gabinete, de maneira protocolar. Neste ano, Bolsonaro determinou que houvesse o desfile de blindados.

O ato ocorre em meio ao desconforto de parlamentares e outras autoridades com o tom político das manifestações do ministro da Defesa, Walter Braga Netto, que inclusive teria pressionado, nos bastidores, pela aprovação do voto impresso. A PEC foi rejeitada em comissão especial, na semana passada, mas deve ser pautada em plenário pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aliado do Planalto.

Bolsonaro já admitiu, no entanto, que a PEC não tem apoio suficiente na Câmara e que precisaria de “uma negociação” para ser aprovada.

“Tanques na rua, exatamente no dia da votação da PEC do voto impresso, passou do simbolismo à intimidação real, clara, indevida, inconstitucional. Se acontecer, só cabe à Câmara rejeitar a PEC, em resposta clara e objetiva de que vivemos numa democracia e que assim permaneceremos”, defendeu a líder da bancada feminina no Senado, Simone Tebet (MDB-MS).

O presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Humberto Costa (PT-PE), disse que Bolsonaro tenta demonstrar força para intimidar os poderes. “Amanhã o presidente da República irá receber um desfile de 150 blindados e mais uma série de outros armamentos, aeronaves, lançadores de mísseis e foguetes, e vai acontecer nas imediações do Palácio do Planalto. Ele aproveitou para fazer uma demonstração de força no dia em que o Congresso Nacional votará o projeto que trata do voto impresso. A mim, parece-me uma pressão e uma tentativa de intimidação do Congresso Nacional, dos outros Poderes aqui no Brasil”, argumentou.

O vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), também repudiou o desfile militar. “Alguns avisos ao senhor inquilino do Palácio do Planalto: 1) colocar tanques na rua não é demonstração de força, e sim de covardia; 2) os tanques não são seus, pertencem à Nação; 3) quer tentar golpe, senhor Jair Bolsonaro? É o crime que falta para lhe colocarmos na cadeia”, defendeu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *