São Paulo exigirá comprovante de vacina em ambientes fechados, diz prefeito

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

23/08/2021

Quem quiser entrar em ambientes fechados na capital paulista, a partir do próximo dia 30, terá de comprovar que tomou ao menos uma dose da vacina contra a covid-19. A regra foi anunciada nesta segunda-feira (23) pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) durante o início da vacinação de jovens com comorbidades, a partir for 12 anos, no Shopping Vila Olímpia, na zona sul da cidade.

A medida também valeria para bares e restaurantes, mas, na tarde desta segunda, o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, afirmou que se trata apenas de recomendação no caso desses estabelecimentos.

O secretário da Saúde, Edson Aparecido, explicou que até sexta-feira (27) será lançado um aplicativo para comprovação de vacinação na porta de restaurantes e demais ambientes fechados.

  • Leia mais: China zera casos locais de covid-19 pela 1ª vez desde julho

“Quando liberar o aplicativo, é só se cadastrar no site da prefeitura, informando a unidade onde foi imunizado e a data. Após a conferência das informações, a pessoa fica autorizada a entrar nos ambientes”, disse.

Aparecido acrescentou que será preciso direcionar o celular para um QR Code no estabelecimento – que também precisará ter o aplicativo. A partir daí será informado se o cliente foi imunizado com ao menos uma dose da vacina contra o novo coronavírus.

  • Leia mais: Aumenta no Rio número de mortes de idosos com duas doses de vacina

“Caso não constar vacina, a pessoa terá de ser barrada. A Vigilância Sanitária irá fiscalizar os estabelecimentos e, caso alguém sem vacina esteja no local, uma multa será aplicada”, afirmou Nunes, que disse ainda não ter os valores das punições. “Até sexta [27] estará tudo organizado.”

Neste fim de semana, o primeiro sem restrição de horário e capacidade de público, bares estavam lotados na capital, inclusive por causa do calor.

Vacinação

Desde quarta-feira (18), a capital paulista vacina adolescentes com deficiência permanente (física, sensorial ou intelectual) ou comorbidades, além de gestantes e puérperas.

O primeiro grupo tem 48 mil pessoas de 16 a 17 anos, segundo a secretaria, mas até sábado apenas 9.314 jovens dessa faixa etária haviam sido imunizados na cidade, representando 19,4% da meta. Entre os de 12 a 15 anos são esperados cerca de 93 mil jovens.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *