Setembro foi o mês que SC mais vendeu carne suína em sua história

Os dados são da Secretaria Estadual da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural

18/10/2021

Setembro foi o mês que SC mais vendeu carne suína em sua história Abate de suínos cresce 7,6% no terceiro trimestre. (Foto: Divulgação)

Santa Catarina bateu novo recorde de exportação de carne suína em um mês. Em setembro o estado embarcou 57,7 mil toneladas para 65 países, um crescimento de 34% em relação a setembro de 2020. As informações são da Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e Desenvolvimento Rural. Os números são do Ministério da Economia, segundo o site CarneTec.

Segundo a publicação, o secretário estadual da Agricultura, Altair Silva, comemora ao dizer que a “notícia positiva para o agronegócio catarinense. Santa Catarina tem muito a comemorar com a força do agro, com a produção, com a sanidade, com o comprometimento das nossas agroindústrias e cooperativas e, principalmente, dos suinocultores, que têm feito um trabalho extraordinário, melhorando permanentemente a sua atividade. Por isso, Santa Catarina comemora resultados de excelências”.

Nos primeiros 9 meses de 2021 o estado já exportou 438,3 mil toneladas de carne de porco. São 12,6% a mais no volume comprado ao mesmo período do ano passado com faturamento de mais de US$ 1 bilhão.  Os dados foram analisados pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa) de SC, segundo o analista da Epagri/Cepa Alexandre Giehl, 

Em setembro o faturamento com as exportações foi de US$ 136,3 milhões, mais 40,3% em relação a agosto. Segundo o Cepea é o terceiro melhor resultado da série histórica desde quando o órgão começou a fazer os registros em 1997.

Os mercados responsáveis pelo sucesso das exportações de carne suína por Santa Catarina são o Chile, as Filipinas e, como sempre, a China. “Merece destaque o crescimento das exportações para as Filipinas, que já ocupam a quarta colocação no ranking deste ano, com 5,6 mil toneladas de carne suína catarinense adquiridas em 2021, alta de 254,1%”, disse Giehl.

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *