Santa Catarina inicia campanha para impedir chegada da PSA

Doença dizima rebanhos e foi detectada na República Dominicana

29/11/2021

Santa Catarina inicia campanha para impedir chegada da PSA Santa Catarina inicia campanha para evitar que a Peste Suína Africana chegue ao Brasil (Foto; Pixabay)

A Secretaria de Agricultura de Santa Catarina lança campanha e reforça as ações agropecuária de prevenção à Peste Suína Africana (PSA). A informação é do site CarneTec. O estado é o maior produtor nacional de suínos e a doença pode dizimar rebanhos. Ela foi notificada na República Dominicana.

A campanha de conscientização da população e dos produtores tem como mote o tema “SC Contra a Peste Suína Africana”. Está com a Secretaria da Agricultura, a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola (Cidasc).

Vai ser uma campanha publicitária com vídeos, áudios, impressos e online e distribuído para todos os veículos de comunicação o estado. O alerta é para o catarinense ficar atento à qualquer sinal da doença e para que a população e turistas saibam do perigo da doença chegar ao estado e aplicarem as regras para transporte de produtos de origem animal,

Em nota, a secretaria informa que “estamos agindo preventivamente para proteger o nosso rebanho e o nosso agronegócio. A suinocultura é uma das principais atividades econômicas de Santa Catarina e nós estamos reforçando as medidas de prevenção e conscientização não só dos produtores, mas também dos turistas e catarinenses”.

“Embora a peste suína africana não seja uma doença transmissível para o ser humano, ela prejudica a economia como um todo e nós precisamos proteger a nossa economia. Nós somos guardiões da saúde animal em Santa Catarina e este é um grande desafio diário.”

Turistas e visitantes estão proibidos de transportarem ao estado qualquer bagagem que contenha carne suína. Todo o material apreendido será descartado. Seja qual for o meio de transporte utilizado, incluindo embarcações. Os produtores rurais estão proibidos de tratar os animais com restos de comida (a chamada lavagem) e qualquer pessoa que não seja da propriedade está proibida de entrar na granja.

Em caso de suspeita, entrar em contato imediatamente com a Cidesc e fazer a comunicação. A vigilância foi reforçada em portos e aeroportos. São tentativas de impedir que o vírus chegue no Brasil. A iniciativa privada está na campanha.

 

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *