Safra brasileira de café terá quebra de 24,4% em 2021

Falta de chuva e excesso de geadas provocam esse cenário

21/12/2021

Safra brasileira de café terá quebra de 24,4% em 2021 Brasil tem quebra na safra do café arábica e aumento na de conilon (Foto: Pixabay)

A safra brasileira de café será 24,4% menor em 2021 em relação à safra passada, informa Safras & Mercado. Serão 47,72 milhões de sacas. No entanto, a grande quebra foi na variedade arábica. A variedade conilon terá a maior safra da série histórica.

Segundo Safras & Mercado, enquanto o café conilon vai colher 16,29 milhões de sacas de 60 quilos, com um crescimento de 13,8% em relação ao ano anterior, e ainda supera a colheita de 2019 em 1,14 milhões de sacas de 60 quilos.

Ao mesmo tempo, a variedade arábica segue no sentido contrário. Segundo o 4º Boletim da Companhia Brasileira de Abastecimento (Conab) a produção deve chegar 31,42 milhões de sacas de 60 quilos, com redução de 35,5% em relação 2020. O arábica é a variedade que o país mais produz.

A queda na produção do café era esperada. Essa cultura sofre um fenômeno chamado bienalidade. Consiste em resultar num ano com boa colheita e no seguinte, uma colheita inferior. Faz parte do dia-a-dia dos produtores. Além da bienalidade, 2021 foi atípico para a produção de café.

As variações climáticas extremas que os cafezais suportaram foram extremas. Falta de chuvas e excesso de geadas levaram a uma quebra na produção e a diminuição da área plantada. Embora as geadas em junho e julho não atingiram os frutos, destruiu parte dos pés em formação.

Guilherme Ribeiro, presidente da Conab, destaca que “apesar da queda registrada, esta é uma boa safra sendo o terceiro maior volume produzido para um período de bienalidade negativa – ficando atrás apenas das colheitas registradas em 2013 e 2019. Ainda assim, a menor produção no país reflete no cenário internacional e corresponde ao principal motivo da diminuição da produção global no ciclo 2021/22 uma vez que o Brasil segue como o maior produtor mundial do grão”.

Estados

No Brasil, o estado que mais produz café é Minas Gerais. As maiores lavouras são do arábica e a quebra chega a 36,3% em relação à safra anterior. Já o café conilon tem lastro no estado do Espírito Santo. Com um crescimento de 22,1%, a safra deve render 11,22 milhões de sacas de 60 quilos. Conilon também avançou no Mato Grosso, onde a safra vai alcançar 194 mil sacas de 60 quilos, um crescimento de 23,6% em relação à anterior.

Ainda assim, o Brasil exportou esse ano 38,4 milhões de sacas entre janeiro e novembro, levemente abaixo do que foi exportado em 2020. O recuo foi de 2,2%, e anda assim 15,3% maior do que há 5 anos atrás.

Sergio De Zen, “o patamar elevado de exportação já era previsto em razão da conjuntura do mercado, com forte valorização do café no exterior e enfraquecimento do real em relação ao dólar em 2021”. A receita por ora é de US$ 5,6 bilhões, ou mais 13% na comparação com 2020.

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.