Quatorze governadores divulgam nota em “solidariedade” ao STF

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

16/08/2021

Governadores de 13 Estados e do Distrito Federal assinaram uma nota pública em “solidariedade” aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), “em face de constantes ameaças e agressões”. O texto não cita o presidente Jair Bolsonaro, autor de uma série de ataques recentes à Corte.

“O Estado Democrático de Direito só existe com Judiciário independente, livre para decidir de acordo com a Constituição e com as leis”, diz a nota. Os governadores afirmam que, “no âmbito dos nossos Estados, tudo faremos para ajudar a preservar a dignidade e a integridade do Poder Judiciário”. “Renovamos o chamamento à serenidade e à paz que a nossa Nação tanto necessita”, disseram.

Entre os que assinaram o texto, estão dois nomes considerados pré-candidatos à Presidência da República no ano que vem, os tucanos João Doria (São Paulo) e Eduardo Leite (Rio Grande do Sul).

A nota também teve apoio dos governadores Rui Costa (Bahia), Flávio Dino (Maranhão), Paulo Câmara (Pernambuco), Camilo Santana (Ceará), João Azevêdo (Paraíba), Renato Casagrande (Espírito Santo), Wellington Dias (Piauí), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Renan Filho (Alagoas), Belivaldo Chagas (Sergipe), Ibaneis Rocha (Distrito Federal) e Waldez Goés (Amapá).

O nota foi divulgada após mensagem publicada no Twitter por Bolsonaro, no sábado, dizendo que pretende apresentar pedidos de impeachment contra os ministros do STF Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

Leia a íntegra da carta:

NOTA PÚBLICA DOS GOVERNADORES EM SOLIDARIEDADE AO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Os Governadores, que assinam ao final, manifestam a sua solidariedade ao Supremo Tribunal Federal, aos seus ministros e às suas famílias, em face de constantes ameaças e agressões.

O Estado Democrático de Direito só existe com Judiciário independente, livre para decidir de acordo com a Constituição e com as leis.

No âmbito dos nossos Estados, tudo faremos para ajudar a preservar a dignidade e a integridade do Poder Judiciário. Renovamos o chamamento à serenidade e à paz que a nossa Nação tanto necessita.

Brasília, 15 de agosto de 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *