Produção de aço mundial cresce 3,3% em julho, para 161,7 milhões de toneladas

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

24/08/2021

Produção mundial de aço bruto reduziu o ritmo de crescimento em julho. No mês passado as siderúrgicas mundiais fabricaram 161,7 milhões de toneladas de produtos siderúrgicos, uma alta de 3,3%. Em junho, o aumento na produção foi de 11,6% no comparativo com o mesmo período de 2020. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (24) pela a World Steel, associação que reúne 85% da produção mundial de aço.

  • Leia mais: Queda do minério de ferro ameaça resultados no 3º tri

A China, que sempre foi o indutor do crescimento na siderurgia, recuou a atividade por força de medidas governamentais para diminuir as emissões no país. No mês passado o país produziu 86,8 milhões de toneladas, uma queda de 8,4% em relação a julho de 2020. Esse desempenho também afetou a produção siderúrgica na região Ásia e Oceania no período, quando o indicador chegou a 116,4 milhões de toneladas, queda de 2,5%.

  • Leia mais: Minério de ferro tem queda de 2,7% no porto de Qingdao

Segundo os dados divulgados, no acumulado do ano até julho, a produção de aço na China, no entanto, apresentou alta de 8%, alcançando 649,3 milhões de toneladas.

Se na China há desaceleração na siderurgia, a atividade no resto do mundo segue em ritmo crescente. A Índia, por exemplo, o segundo maior produtor mundial, produziu 9,8 milhões de toneladas em julho, alta de 13,3%. No acumulado, a produção de aço chegou a 68 milhões de toneladas, um aumento de 28,7%.

De acordo com os dados, o Japão, terceiro maior produtor, produziu 8 milhões de toneladas em julho, uma alta de 32,5%. No acumulado, o crescimento foi de 16,2%, chegando a 56,1 milhões de toneladas. Os Estados Unidos produziram 7,5 milhões de toneladas no mês passado, um aumento de 37,9% e de janeiro a julho 49,5 milhões de toneladas, alta de 18,5%.

Segundo a World Steel, estima-se que a Rússia produziu 6,7 milhões de toneladas, aumento de 13,4% em julho e outros 44,9 milhões de toneladas no acumulado, com crescimento de 9,2%.

O Brasil, o nono maior produtor mundial, produziu, de acordo com a associação, 3,0 milhões de toneladas em julho, um aumento de 14,5% no comparativo com o mesmo período de 2020. Já no acumulado do ano, a produção das siderúrgicas brasileiras chegou a 21 milhões, com crescimento de 22%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *