Presidente do PSDB em São Paulo diz que Aécio atua em nome de “interesses bolsonaristas”

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

25/08/2021

O presidente do PSDB em São Paulo e secretário de Desenvolvimento Regional do governo do Estado, Marco Vinholi, divulgou nota criticando a fala do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) contra o governador João Doria (PSDB). Na terça-feira, Vinholi já havia publicado críticas ao ex-governador de Minas Gerais em seu perfil no Twitter.

“É lamentável que o deputado federal Aécio Neves não tenha a mesma disposição para defender o PSDB e a candidatura própria do partido a presidente da República que tem para atuar a favor dos interesses bolsonaristas no Congresso Nacional e na legenda”, ele afirmou na nota.

“Lastimável que insurja contra o governador João Doria por representar uma construção sólida de via para o partido e para o Brasil, mas não dê uma palavra sobre a insanidade e a irresponsabilidade sem precedentes feita pelo governo [Jair] Bolsonaro. O PSDB de Mario Covas, de Franco Montoro e de Fernando Henrique Cardoso não se curva e não se cala frente a esse governo nefasto, antidemocrático e incompetente”, acrescentou.

Na terça-feira, Vinholi afirmou que Aécio “lidera hoje as pautas bolsonaristas, atuando como seu serviçal no Congresso Nacional e no partido. Por isso, atua a todo custo tentando atrapalhar a candidatura de João Doria no PSDB”.

Vinholi ainda disse que o PSDB de São Paulo “se manterá ao lado dos que trabalham pelo bem comum, que lutam pela democracia apesar das dificuldades e que brigam pelo povo e pelo certo, doa a quem doer”.

Na terça-feira, Aécio Neves divulgou nota afirmando que Doria “é um desqualificado”, que “perdeu as condições de ser candidato à própria reeleição pela sua enorme rejeição e acha que pode comprar o PSDB para satisfazer o seu fetiche de ser candidato a presidente da República”. Disse ainda que “falta a ele dimensão e caráter para liderar qualquer projeto nacional”.

As críticas foram feitas após o governador ter dito, durante o programa “Roda Viva”, da TV Cultura, na segunda-feira, que Aécio é um “pária dentro do PSDB” e que deveria se afastar do partido. “Aécio Neves tem a síndrome da derrota e começou a sua pior derrota naquele triste telefonema que dirigiu a um empresário aqui de São Paulo, pedindo propina. Entendo que pessoas que pedem propina a empresários, do meu partido, deveriam se afastar.”

O presidente do PSDB em Minas Gerais, Paulo Abi-Ackel, também divulgou nota, na terça-feira à tarde, defendendo Aécio Neves. Para ele, “a postura do governador paulista é prejudicial para o convívio democrático, sobretudo em tempos de radicalização política tão contestada pelo PSDB que dessa postura busca se diferenciar”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *