Presidente do México quer refinanciar dívida de estatal de petróleo com créditos do FMI

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

06/09/2021

O México iniciou um processo de refinanciamento da dívida da estatal Petroleos Mexicanos (Pemex), depois que o país recebeu uma transferência de cerca de US$ 12 bilhões do Fundo Monetário Internacional (FMI). O presidente Andrés Manuel López Obrador disse nesta segunda-feira que o refinanciamento havia começado e reafirmou que deseja usar as reservas recém-emitidas do FMI para pagar dívidas, mas que não poderia fornecer mais detalhes da operação.

Seu porta-voz, Jesus Ramirez, confirmou à Bloomberg News que a dívida da Pemex está sendo refinanciada. O governo está considerando se os US$ 12 bilhões em reservas do FMI poderiam ser total ou parcialmente usados para saldar a dívida da Pemex, de acordo com outra fonte.

“Não posso dizer muito, mas um processo de refinanciamento da dívida começou”, disse o presidente mexicano em sua entrevista coletiva matinal. “Mas me deixem apenas dizer que a Pemex não está à deriva. É uma empresa da nação, do povo mexicano.”

O banco central do país diz que o México só pode usar esses fundos, que foram emitidos no mês passado como parte dos esforços para ajudar os países em meio à pandemia se comprá-los da autoridade monetária, que recebeu a transferência do FMI como reservas internacionais. A transferência se refere aos chamados direitos especiais de saque do FMI, que são alocados aos países-membros com base em sua participação no Fundo.

López Obrador priorizou a ajuda à Pemex buscando reduzir os custos de empréstimos da estatal e liberar caixa para investir em exploração e produção após uma década e meia de queda na produção. A petroleira atualmente tem US$ 115 bilhões em dívidas.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *