Prefeito de SP troca comando da área de Transportes

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

10/08/2021

Menos de três meses depois de assumir a Prefeitura de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) iniciou as mudanças no primeiro escalão e nomeou nesta terça-feira o vereador Ricardo Teixeira (DEM) para a Secretaria de Mobilidade e Trânsito. A escolha atende a um pedido do presidente da Câmara Municipal, Milton Leite (DEM), que tem influência na área de Transportes.

O prefeito deve mudar toda a gestão do trânsito e transporte na cidade e mudou o nome da secretaria de “mobilidade e transportes” para “mobilidade e trânsito”. O novo secretário tem reunião marcada com o prefeito às 12h. O secretário anterior, Levi dos Santos Oliveira, foi exonerado hoje e irá para uma secretaria executiva criada para cuidar do trânsito.

Vereador eleito pelo DEM, Ricardo Teixeira foi secretário de Verde e Meio Ambiente e de Subprefeituras na gestão de Fernando Haddad (PT). Na época, Teixeira chegou a ser afastado temporariamente da prefeitura por determinação na Justiça, por uma condenação por improbidade administrativa quando foi dirigente da Dersa e contratou um escritório de advocacia sem licitação. Teixeira já foi filiado ao PSDB, PV e Pros, e integrou a gestão Gilberto Kassab (PSD) como secretário-adjunto na Secretaria de Subprefeituras.

Além do ex-secretário de Mobilidade e Transporte, o prefeito de São Paulo exonerou hoje também o secretário-executivo Gustavo Garcia Pires, um dos integrantes da gestão que eram mais próximos a Bruno Covas. Pires era tido como o “braço direito” do tucano. As duas mudanças foram vistas por vereadores como um indicativo de que o novo prefeito não deve demorar muito para trocar outros nomes que eram muito ligados a Covas. No primeiro escalão, nove secretários são do PSDB e faziam parte do chamado “núcleo duro” da gestão tucana.

Nunes assumiu em 16 de maio, depois da morte do prefeito Bruno Covas (PSDB), e disse que manteria as diretrizes e a equipe do tucano. No entanto, mesmo antes de assumir de forma definitiva o cargo, o prefeito já era pressionado pelo MDB e por partidos aliados na Câmara Municipal a fazer mudanças. A indicação de Ricardo Teixeira foi a primeira troca no secretariado feita pelo novo prefeito, mas Nunes já tinha começado a acomodar aliados em secretarias-executivas e subprefeituras. Três exemplos são Diogo Soares e Antonio Fernando Pinheiro Pedro, ambos filiados ao MDB e nomeados secretários-executivos, e Fernanda Galdino, indicada pelo PV para a Subprefeitura da Lapa.

O nome de Ricardo Teixeira para a Secretaria de Transportes ganhou força nas últimas semanas para assumir a Pasta, sobretudo por pressão de Milton Leite e do DEM. Vereadores da base aliada querem mudanças também na Casa Civil e na Secretaria de Governo, comandada por tucanos que eram ligados a Bruno Covas. A chapa Covas/Nunes foi eleita com o apoio de 11 partidos, que têm a expectativa de maior participação no novo governo.

Sob a gestão Nunes, Milton Leite tem ganhado espaço e poder nas ações da prefeitura. O presidente da Câmara tem costurado a base de apoio do prefeito no Legislativo e atuado para acelerar a votação de projetos de interesse do Executivo. No primeiro semestre, Nunes conseguiu aprovar todos os principais projetos. Agora, a Câmara Municipal deve começar o debate sobre a revisão do Plano Diretor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *