PIB paulista cresceu 0,5% no 2º trimestre sobre o 1º, calcula Seade

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

30/08/2021

O Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de São Paulo cresceu 0,5% no segundo trimestre deste ano, sobre o primeiro trimestre, feito o ajuste sazonal, segundo a Fundação Seade. No período de janeiro a março, o produto paulista cresceu 1,7% na comparação com outubro a dezembro de 2020, feito o ajuste sazonal.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o PIB do segundo trimestre teve expansão de 15,2%. No acumulado em quatro trimestres, houve crescimento de 6,9%.

O PIB paulista representa cerca de um terço do PIB nacional, que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai divulgar na próxima quarta-feira, dia 1 de setembro. Mediana de estimativas colhidas junto ao mercado financeiro pelo Valor Data aponta que o produto nacional deve crescer 0,2% no segundo trimestre sobre o primeiro.

De acordo com a fundação, no segundo trimestre, o crescimento do PIB foi puxado pelo setor de serviços, que aumentou 2,5% sobre o primeiro trimestre, enquanto a agropecuária e a indústria registraram retração, de 1,9% e 2,5%, respectivamente. Os serviços respondem por cerca de 65% do PIB total.

Já na comparação com o mesmo período do ano passado, devido a uma base muito baixa de comparação, o destaque foi a expansão do PIB industrial, que cresceu 20%, seguido pelos serviços, com 13,3%. A agropecuária registrou queda de 6,3% no período.

A fundação estima que em 2021 o PIB do Estado deve crescer 7,2%. Bons números no mercado imobiliário, aumento de exportações e flexibilização das restrições impostas por causa da pandemia são os fatores que devem motivar o crescimento até o fim do ano, segundo a Seade.

Existem dúvidas, contudo, sobre o ritmo de crescimento da indústria no segundo semestre por causa da falta de insumos em cadeias produtivas estratégicas no Estado, como no setor automotivo. Há perda de dinamismo da indústria metalmecânica e fraco desempenho na indústria de alimentos, especialmente devido aos efeitos negativos do clima, diz a instituição. Outro fator de preocupação é o aumento da inflação.

Resultado do produto em julho

Depois de crescer 0,1% em junho sobre maio, o PIB paulista caiu 0,7% em julho ante o mês anterior, segundo a Seade.

Essa estimativa mensal, que a fundação denomina de PIB+30, incorpora em sua metodologia dados de alta e altíssima frequência, com a finalidade de rastrear com maior rapidez as mudanças da atividade econômica.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *