Petróleo tem pior semana desde outubro de 2020

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

20/08/2021

O petróleo amargou mais uma queda nesta sexta-feira (20), completando a sequência de sete sessões consecutivas com recuo e marcando a pior semana da commodity desde outubro do ano passado. O desinteresse pelo ativo se deu em meio ao temor de uma queda de demanda diante da maior disseminação da covid-19 pela variante delta, além da valorização do índice do dólar nesta semana.

O contrato do petróleo Brent para outubro fechou a sexta em queda de 1,91%, a US$ 65,18 por barril, na ICE, em Londres, enquanto o do WTI para outubro recuou 2,14%, a US$ 62,14 por barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York.

Os últimos dias foram ruins para a commodity, que teve seu pior desempenho semanal desde a semana de 25 de outubro de 2020, com queda acumulada de 9,20% nos contratos do WTI e retração de 7,66% nos do Brent.

O desempenho é reflexo de uma semana em que os crescentes casos de covid-19 pelo mundo aumentaram os receios dos investidores em relação às restrições e à demanda pela commodity.

Outro ponto de pressão sobre os preços dos contratos do petróleo foi o dólar. O índice da moeda americana em alta, na semana, acabou impactando negativamente as commodities.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *