Petróleo fecha em alta de mais de 1,5%; WTI tem maior valor desde outubro de 2014

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

05/10/2021

O petróleo encerrou mais uma sessão em alta, um dia após a decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (Opep+) decidirem manter o aumento da produção em 400 mil barris por dia. A decisão ocorre diante de uma oferta restrita de gás na Europa, que pode provocar um aumento no consumo do petróleo.

Os preços dos contratos para dezembro do Brent, a referência global, terminaram o dia em alta de 1,6%, a US$ 82,56 o barril, na ICE, em Londres, enquanto os preços dos contratos para novembro do WTI, a referência americana, avançaram 1,7%, a US$ 78,93 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex).

A alta de hoje levou o contrato do Brent para seu maior valor desde outubro de 2018, enquanto o WTI atingiu seu maior preço desde outubro de 2014.

Ontem a Opep+ decidiu manter a expansão de sua produção em 400 mil barris por dia, mesmo com a demanda pela commodity crescendo diante da retomada econômica global. “Em termos de demanda, a recuperação mais rápida do que o esperado continua em todo mundo, com dados mostrando números-chave já acima dos níveis pré-pandemia”, escreveu o BTG Pactual em relatório. Para o banco o preço dos contratos Brent devem ficar entre US$ 75 e US$ 85 por barril no último trimestre de 2021, também devido à oferta de gás mais restrita.

Na Europa, a pressão pelo gás deve aumentar com a chegada do inverno. Com a retomada da economia ocorrendo de forma mais rápida, o antigo continente deve sofrer um déficit do combustível. Por isso, mesmo que a Opep+ aumente sua produção, o apoio para o avanço da energia neste último trimestre deve se manter.

“A demanda por petróleo está consideravelmente mais robusta do que o previsto. Uma razão para isso são os altos preços do gás que, em algumas regiões do mundo, estão levando a uma maior produção de eletricidade a partir do petróleo”, disse o Commerzbank em nota nesta terça.

Amin Nasser, CEO da Saudi Aramco, disse ontem durante uma conferência do setor de petróleo que a substituição do gás natural por petróleo estava adicionando uma demanda de 500 mil barris diários de petróleo ao mercado.

Nesta terça, o preço dos contratos futuros do gás natural na Bolsa de Mercadorias de Nova York, Nymex, atingiram seu maior nível desde 2008. No fechamento, ele ficou em US$ 6,312 por milhão de unidades térmicas, com alta de 9,5%. No ano o preço do gás natural já subiu 140%, segundo dados do FactSet.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *