Peixe criado em cativeiro não provoca doença da urina negra, diz Associação

A doença começa a se disseminar nas regiões Norte e Nordeste e pode ser provocada pela ingestão de peixes

14/09/2021

Peixe criado em cativeiro não provoca doença da urina negra, diz Associação Doença da urina negra se disseminação nas regiões Norte e Nordeste e Associação afirma que peixe de cativeiro não provoca a doença (Foto: Divulgação)

Nota divulgada na segunda-feira (13) pela Associação Brasileira de Piscicultura (Peixe BR) afirma que os peixes criados em cativeiro não provocam a doença da urina negra. A doença foi registrada nas regiões Norte e Nordeste em pessoas que têm a alimentação baseada em peixes. A doença, que é endêmica de alguns países africanos, começa a preocupar o Ministério da Saúde.  

Segundo site CarneTec, a nota afirma que “tilápia e tambaqui criados profissionalmente, em cativeiro e com toda a segurança, não provocam a síndrome de Haff (doença da urina negra) em seres humanos”. Roger Crescêncio, da Embrapa Amazônia Ocidental, informa ao CarneTec “que não há nenhum registro de caso da doença que tenha como origem os peixes de cultivo”.

Afirma também que a síndrome de Half também pode ser causada por peixes contaminados, sem origem conhecida, até então em animais que “não foram criados em ambiente controlado”.

Os peixes criados por empresas em água doce se submetem a uma legislação e controle industrial de boas práticas e são rastreáveis. Empresas utilizam protocolos de segurança e conferem um ambiente de bem-estar ao animal, criando condições de alta segurança alimentar.

A nota conclui afirmando que “peixe de cultivo é gostoso, saudável e seguro. A Peixe BR recomenda aos consumidores dar preferência a peixes de origem conhecida e que tenham sido criados em ambientes controlados.”

 Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *