Ovos: relação entre o preço pago ao produtor e o valor do milho é o pior da história, informa Cepea

A informação é do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada

24/01/2022

Ovos: relação entre o preço pago ao produtor e o valor do milho é o pior da história, informa Cepea Ovos têm recuperação nos preços neste início de fevereiro. (Foto: Divulgação)

O poder de compra do milho e do farelo de soja pelos avicultores brasileiros vem sendo reduzido na medida que o preço dos ovos das granjas se desvalorizam, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Os custos dos insumos crescem e o preço do ovo caem e a relação de troca fica desfavorável ao produtor, dizem os pesquisadores.

O milho, tem a pior relação de troca em janeiro deste ano se comprado a janeiro de 2013 (na média parcial, uma vez que a pesquisa se refere aos primeiros 20 dias do mês). Em Bastos (SP), a compra de 65,9 quilos de milho (praça de Campinas) exige a venda de uma caixa com 30 dúzias de ovos, segundo indicador ESALQ/BM&FBovespa.

Ainda segundo o Cepea, “esse volume é o menor da série e ainda 14,9% inferior ao registrado em dezembro. Segundo pesquisadores, “as cotações do milho estão em forte alta neste mês, impulsionadas pela restrição de vendedores – devido às incertezas quanto à produtividade das lavouras – e pela demanda elevada”.

O farelo de soja, outro insumo importante na produção de ovos, mesmo com quedas sucessivas no segundo semestre de 2021, “os valores passaram a subir em dezembro, principalmente por conta do alto valor da matéria-prima e da firme procura”.

O Centro afirma também que “na média parcial de janeiro, o avicultor pôde comprar 38,3 quilos do insumo (mercado de lotes da região de Campinas) com a venda de uma caixa de ovos brancos, a menor quantidade em um ano, considerando-se a série mensal, e ainda 20,8% menor que a média de dezembro”.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.