Operação Fitofake investiga empresas falsificadoras de certificado fitossanitário

Falso documento era emitido para exportação brasileira de produtos como café, arroz e pimenta.

23/08/2021

Operação Fitofake investiga empresas falsificadoras de certificado fitossanitário Certificados fitossanitário falsos eram emitidos para exportação de café. (Foto: Agência Brasil)

Uma ação conjunta entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e a Polícia Federal (PF) realizou busca e apreensão cinco empresas que falsificaram certificados fitossanitários na exportação de produtos brasileiros como café, arroz e pimenta. A operação Fitofake foi deflagrada na manhã desta segunda (23). Detalhes da operação, como nome das empresas, não foram divulgados.

O certificado fitossanitário é considerado o passaporte vegetal, sendo exigido pelas autoridades fitossanitárias dos países para permitir o ingresso de produtos. A operação investiga que documentos falsos eram emitidos para exportação brasileira produtos como café, arroz e pimenta. 

A fraude foi identificada com a ajuda dos órgãos oficiais dos países importadores, que notaram divergências nos documentos e comunicaram ao Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária.

“Os documentos utilizavam informações indevidas, indicando que os produtos haviam sido inspecionados e estavam livres de pragas e doenças. Fraudes em certificados fitossanitários podem colocar em dúvida a credibilidade da certificação brasileira e ter repercussão para todos os exportadores”, relata o chefe da divisão de Fiscalização e Certificação Fitossanitária do Mapa, Eduardo Henrique Magalhães.

De acordo com o Mapa, a instituição realiza a inspeção na exportação para verificar e atestar que os produtos vegetais cumprem com as exigências dos países importadores. A única organização reconhecida internacionalmente para atestar informação dessa natureza é o Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas, por meio do Certificado Fitossanitário emitido por auditores fiscais federais agropecuários. 

“Nestes casos de falsificação do certificado, os produtos não tinham as garantias de que pragas e doenças nocivas ao país de destino não estavam presentes nos grãos de café, arroz e pimenta”, explica Magalhães.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *