Omar Aziz critica “agilidade” para abertura de um procedimento contra Luis Miranda

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

22/09/2021

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), Omar Aziz (PSD-AM), criticou nesta quarta-feira a “agilidade” para abertura de um procedimento contra o deputado Luis Miranda (DEM-DF) pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

No processo, aberto a pedido do presidente do PTB, Roberto Jefferson, Miranda é acusado pelo relator, Gilberto Abramo (Republicanos-MG), de ferir o decoro parlamentar por não denunciar supostas irregularidades na compra da vacina Covaxin aos órgãos judiciais.

A representação assinada por Jefferson diz que as acusações feitas pelo deputado à imprensa e à CPI da Covid tinham como objetivo prejudicar a imagem e imputar crime ao presidente Jair Bolsonaro e ao ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

“A Câmara abriu hoje um processo contra o deputado Luis Miranda, sem esperar esta CPI acabar. Em uma denúncia que o presidente [Bolsonaro] até hoje não disse se é verdade ou mentira. Veja bem a celeridade do relator em querer punir o deputado Luis Miranda”, afirmou Aziz. “Este mesmo procedimento não está sendo adotado em relação a pessoas mais poderosas.”

Aziz disse que a Câmara foi “muito ágil” em relação a Miranda [no Conselho de Ética] e “muito lenta em relação a coisas muita mais graves que se fazem nesse país, como desrespeito à Constituição e aos Poderes”.

“Espero que a Câmara possa ter a mesma agilidade quando a gente entregar o relatório ao presidente Arthur Lira [PP-AL] sobre o que essa CPI está apurando e o que virá nesse relatório em relação aos investigados”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *