Não faltará álcool anidro para misturar à gasolina, diz Unica

Entidade diz que a indústria pode diminuir a produção de hidratado e aumentar a do álcool anidro

27/09/2021

Não faltará álcool anidro para misturar à gasolina, diz Unica Unica garante que não faltará álcool anidro para misturar à gasolina (Foto: Agência Brasil)

Mesmo com a forte quebra na safra 2021/2022 de cana-de-açúcar não vai faltar álcool anidro usado na mistura da gasolina. São 27% de álcool anidro em cada litro do de gasolina colocado no varejo. A informação foi dada nesta segunda-feira (27) pela União da Industria de Cana-de-Açúcar (Única).

A informação dada pela Única vem depois que o presidente Jair Bolsonaro, sem partido, dizer que o preço do litro da gasolina ao consumidor poderia ser menor caso o volume de álcool anidro na gasolina diminua. Ele alega que os preços do álcool estão ajudando nos aumentos de preços da gasolina. Estariam muito altos.

Antônio de Pádua Rodrigues, presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar informa em nota que divulga pelo site MoneyTimes que “a produção registrada até o momento, os estoques disponíveis nos produtores, a possibilidade de importação, o volume a ser produzido e a expectativa de consumo do ciclo Otto indicam condições para atendimento do atual nível de mistura de etanol na gasolina”.

Pádua diz ainda que a queda no consumo de álcool hidratado leva a indústria a pensar em aumentar a oferta do anidro para termos uma gasolina mais competitiva. Levantamento mostra que a produção do anidro nas indústrias do Centro-Sul saltou 17,8% em setembro comparado com o mesmo mês do ao passado. Um aumento de 26,4%.

Esse ano, tanto a produção de açúcar quanto a de álcool sofreram uma quebra. A indústria produziu menos 8% de açúcar (26,8 milhões de toneladas) e 3% de álcool (20,75 bilhões de litros). O presidente da Única lembra que a produção de álcool anidro na primeira quinzena de setembro só é comprável à safra de 2017/2018 quando, segundo ele disse ao site MoneyTimes, “a moagem de cana-de-açúcar era muito superior”.

“A despeito da expectativa de queda superior a 14% na moagem de cana-de-açúcar e da retração nas produções de etanol hidratado e açúcar, a produção de etanol anidro deve crescer mais de 500 milhões de litros neste ciclo”, registra o site de economia.

A Única informa que a quebra na safra da cana e de seus derivados acontece em todas as regiões do país. No Centro-Sul, pode ser de 530 milhões de toneladas e ainda com viés de baixa. Nas mesmas regiões, o açúcar recuou 20,48%, caindo para 2,5 milhões de toneladas. A principal região produtora do pais teve uma queda de 14% na primeira quinzena de setembro.

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *