Ministério das Relações Exteriores trabalha para eliminar antidumping nas exportações de frango

Em nota, a pasta alega participar diretamente das investigações sobre antidumping e reforçou apoio ao setor exportador de frango

25/01/2022

Ministério das Relações Exteriores trabalha para eliminar antidumping nas exportações de frango Exportação de frango cresce 7,4% em fevereiro de 2022 em relação ao mesmo mês em 2021 (Foto: Agência Brasil)

O Ministério das Relações Exteriores garantiu, nesta terça (25), que está trabalhando em conjunto com os ministérios da Economia e da Agricultura, para eliminar as tarifas antidumping impostas, provisoriamente, pela África do Sul. A resposta do Ministério das Relações Exteriores foi enviada, em nota, ao Canal Rural.

O país sul-africano acusa o Brasil e outros quatro países da prática de dumping sobre as exportações de carne de frango com osso. Além do Brasil Irlanda, Espanha, Polônia e Dinamarca também forram acusados.

Em nota, o ministério também “reforçou apoio ao setor exportador nacional para que o exame seja concluído com a não imposição de direito antidumping definitivo”, informou a publicação do Canal Rural.

“O Governo brasileiro tem acompanhado o caso com preocupação e, em particular a imposição de direito provisória, por tratar-se de um dos principais produtos da pauta bilateral de comércio e, principalmente, pela ausência de elementos que justifiquem a imposição da medida. No dia 15 de janeiro corrente, o Governo do Brasil protocolou manifestação técnica contra o relatório que embasou a imposição de tarifa provisória contra as exportações nacionais”, afirma a nota encaminhada à reportagem do Canal Rural.

A pasta também lembrou que a tarifa imposta pela África do Sul sobre as importações brasileiras de carne de frango sem osso está inserida no contexto de investigação antidumping corrente, iniciada em fevereiro de 2021, sobre esses produtos. O direito antidumping aplicado aos produtos brasileiros – de 265,1% – foi imposto no dia 17 de dezembro do ano passado, com caráter provisório, uma vez que a investigação está em andamento.

Da Redação (com informações do Canal Rural)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.