Agricultura libera dois defensivos agrícolas inéditos e de baixo impacto

Também foram publicados 51 produtos genéricos, que utilizam ingredientes ativos já registrados no país

29/09/2021

Agricultura libera dois defensivos agrícolas inéditos e de baixo impacto Mapa libera 53 defensivos, 9 de baixo impacto e um fitoquímico (Foto: Divulgação)

O Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA) liberou o registro de 53 defensivos agrícolas. A autorização foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (29). A novidade são 9 defensivos são considerados de baixo impacto ou de base biológica. Dois deles, de princípio ativo inédito no país. Um de base biológica e outro fitoquímico (produzido a partir de plantas).

O fitoquímico, segundo a assessoria de imprensa do MAPA, é composto de cinamaldeído, componente óleo essencial da canela (Cinnamomum sp). Foi registrado para uso na cultura do morango, para o controle do fungo Sphaerotheca macularis – causador da doença conhecida popularmente como oídio – e o controle do fungo Mycosphaerella fragariae, agente causador da mancha foliar ou mancha de Mycosphaerella.

Até o momento não existia nenhum produto registrado para controle de oídio em morango.

O outro, é um fungo chamado Purpureocillium lilacinum. É eficaz contra o nematoides Meloidogyne incognita e Meloidogyne javanica. Ele destrói várias culturas como algodão, batata, cana-de-açúcar, cenoura, fumo, pepino e soja. Por esse produto ser de origem microbiológica, o mesmo pode ser utilizado em qualquer cultura de ocorrência dessas pragas.

Os demais produtos utilizam ingredientes ativos já registrados anteriormente no país. O registro de defensivos genéricos é importante para diminuir a concentração do mercado e aumentar a concorrência, o que resulta em um comércio mais justo e em menores custos de produção para a agricultura brasileira.

Até este ano, foram registrados 65 produtos de baixo impacto. Importantes para o controle de pragas e por representarem baixo risco para a saúde humana e o meio-ambiente, tais produtos são priorizados e o Mapa tem empreendido esforços para o aumento dessa classe de produtos. Espera-se que o registro de produtos de baixo impacto no ano corrente supere o número obtido em 2020, quando 95 produtos foram registrados.

Todos os produtos registrados foram analisados e aprovados pelos órgãos responsáveis pela saúde, meio ambiente e agricultura, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais.

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *