Minério de ferro recua mais 1,9% no porto chinês de Qingdao

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

31/08/2021

Os preços do minério de ferro encerraram agosto em baixa e apagaram a valorização acumulada em 2021, refletindo as expectativas crescentes de redução da produção de aço na China e menor demanda global da matéria-prima.

No porto de Qingdao, o minério com teor de 62% de ferro fechou o dia com desvalorização de 1,9%, para US$ 153,67 a tonelada, segundo a publicação especializada Fastmarkets MB.

Com esse desempenho, a principal matéria-prima do aço encerrou o mês com baixa acumulada de 15,4% e passou a exibir perda, de 4,2%, no acumulado de 2021.

Na Bolsa de Commodity de Dalian, os contratos mais negociados com vencimento em janeiro recuaram cerca de 5%, para 808 yuan por tonelada, na contramão dos contratos futuros de aço, que tiveram desempenho positivo.

Em relatório divulgado na segunda-feira (31), os analistas Leonardo Correa e Caio Greiner, do BTG Pactual, chamaram a atenção para o descolamento dos preços do minério de ferro e do aço nas últimas semanas. Enquanto a commodity se desvalorizou, o aço se manteve no mínimo estável.

“Com o governo chinês se tornando mais incisivo sobre os cortes na produção das siderúrgicas, vemos perspectivas interessantes para a relação entre oferta e demanda global de aço”, escreveram, acrescentando que a produção menor deve dar suporte às cotações de produtos siderúrgicos.

Para atingir a meta de encerrar 2021 com queda nos volumes produzidos em relação ao ano passado, seguiram os analistas, a China deverá reduzir em 11% a produção no segundo semestre. “Parece improvável, mas ainda esperamos alguma desaceleração à frente”, acrescentaram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *