Mercado do boi tem escalas alongadas com preços pressionados pelo excesso de demandas

Rio Grande do Sul tem dificuldades com o escoamento, Rondônia tem muita boiada e São Paulo tem mercado parado

01/06/2022

Mercado do boi tem escalas alongadas com preços pressionados pelo excesso de demandas Em Rondônia, os frigoríficos tem folga nas escalas graças há uma grande boiada. (Foto: Divulgação)

Após sucessivas quedas, o mercado do boi praticamente parou na praça paulista. As escalas de abate dos frigoríficos estão alongadas para toda a semana que vem e as indústrias não realizaram negócios nesta terça-feira (31). As informações são da Scot Consultoria.

Os preços continuam deprimidos, O boi gordo tem cotação referência de R$302 a arroba, a vaca gorda R$272 a arroba e a novilha ficou em R$292 a arroba. Preços brutos e a prazo. Os animais para a exportação, com até quatro dentes, estão sendo comercializados a R$305 a arroba. 

No sudeste de Rondônia há muita boiada, permitindo que os frigoríficos programem suas escalas com folga e os preços caiam. A comparação diária mostra uma queda de R$4 para a arroba do boi e da vaca gordos e R$5 para a das novilhas. Desta forma, o boi ficou precificado em R$258 a arroba, as vacas a R$248 a arroba e as novilhas gordas R$250. Preços brutos e a prazo.

No Rio Grande do Sul, praça de Pelotas, existe uma dificuldade de escoar a produção. As indústrias estão desacelerando as compras e abrindo negócios com ofertas R$0,10 menores para o quilo do boi gordo e da novilha gorda no comparativo feito dia a dia. O preço referência acabou em R$11 o quilo para o boi, para a vaca gorda em R$10,4 o quilo e para a novilha gorda em R$11 o quilo. Preços brutos e a prazo.

 

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.