Mercado do boi gordo perde força e deve se manter com o mesmo ritmo para a semana que vem

Para o engenheiro agrônomo, Alcides Torres, apenas o fim da safra e mudanças cambiais podem mudar o cenário no curto prazo.

08/04/2022

Mercado do boi gordo perde força e deve se manter com o mesmo ritmo para a semana que vem Mercado do boi gordo perde força e deve permanecer do mesmo jeito na semana que vem (Foto: Agência Brasil)

O mercado do boi gordo fecha a semana com as cotações de estáveis para queda, segundo o engenheiro agrônomo e analista de mercado Alcides Torres, da Scot Consultoria. Ele informa que os ajustes para baixo são diários e que a perspectiva para a semana que vem não é diferente.

Informa que as cotações para as fêmeas acabaram estáveis, mas para arroba do boi gordo, foi de queda. Na semana que entra, não há sinais de mudança. Alcides acredita que deve melhorar quando entrar a seca e a oferta de animais diminuírem ou o governo fizer alguma mudança na política cambial com melhora dos preços internacionais.

Ele diz que o setor se pergunta se não é hora de o Brasil deixar de exportar tanto para a China e procurar novos mercados. Explica que é importante o Brasil abrir novos mercados, mas não é possível ignorar o tamanho do chinês, onde somos o maior exportador de carne bovina. Lembra que a China é o maior importador de 130 países e, portanto, não é um problema da nossa relação com o país asiático, “mas de todo o globo terrestre”.

Acredita que apenas um país poderia substituir o Brasil. A Índia. Mas aquele país tem problemas que o impedem. É hinduísta, religião que proíbe o consumo da carne de vaca. O país, portanto, não tem uma infraestrutura e logística para tamanho desafio. Além da resistência religiosa.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.