Lula diz que desfile foi “patético” e que não terá “conversa especial” com militares

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

10/08/2021

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva classificou como “uma coisa patética” o desfile de tanques de guerra em Brasília, horas antes da discussão sobre o voto impresso no plenário da Câmara dos Deputados. Para Lula, o presidente Jair Bolsonaro trata as Forças Armadas como se fossem “um brinquedo” dele. Pré-candidato a um terceiro mandato, ele também disse que não fará acenos nem dará tratamento especial aos militares.

  • EUA jogam água na fervura de delírio bolsonarista

“Não tem carta pra conversar com militares. Se tivesse carta seria para o povo brasileiro e dentro disso estão os militares. Se militar quiser fazer política, ele renuncia o cargo, tira a farda e se candidata. Não tem problema”, afirmou o ex-presidente nesta terça-feira, pelo Twitter, afastando os rumores de que faria um gesto em direção às Forças Armadas.

  • “Cena patética”, diz Omar Aziz na abertura da CPI

Presidente por dois mandatos, Lula lembrou que já foi “chefe das Forças Armadas” e disse que os militares “sabem como têm que se comportar”, cuidando da soberania nacional e dentro da Constituição.

“Bolsonaro se comporta como se as Forças Armadas fossem um objeto particular dele, como se fossem um brinquedo.”

“Não tem conversa especial com Forças Armadas, vou tratá-los com respeito, como temos que tratar todas as instituições. Isso que aconteceu hoje foi uma coisa patética. Se o Bolsonaro queria uma foto com militar era só ter visitado um quartel”, escreveu o ex-presidente.

Lula também comparou Bolsonaro ao ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que não aceitou a derrota eleitoral em novembro de 2020 e chegou a incentivar uma invasão do Congresso por seus apoiadores.

“Quando Bolsonaro fica com isso de votinho no papel, ele tá tentando preparar confusão como o Trump fez nos EUA. E nós não vamos aceitar isso aqui. O Bolsonaro tem que estar preparado e saber o seguinte: ele vai perder as eleições. Se quiser sair pela porta dos fundos, que saia”, afirmou.

Do alto da rampa do Palácio do Planalto, Bolsonaro acompanhou a passagem de veículos militares na Esplanada dos Ministérios, na manhã desta terça-feira, acompanhado dos comandantes das três Forças Armadas: Paulo Sérgio (Exército), Almir Garnier (Marinha) e Carlos de Almeida Baptista (Aeronáutica). O desfile de tanques, caminhões e jipes durou menos de dez minutos. As imagens foram transmitidas ao vivo na página de Bolsonaro no Facebook.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *