Instituto Atlas: Lula tem vantagem sobre Bolsonaro em todos os cenários

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

06/09/2021

A preferência do eleitor para a eleição presidencial 2022 continua favorável ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Nos três cenários de primeiro turno, o petista aparece à frente do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), segundo pesquisa do Instituto Atlas divulgada nesta segunda-feira.

  • Avaliação negativa do governo Bolsonaro bate recorde

No cenário em que são apresentadas dez opções ao eleitor, Lula registra 40,6% das intenções de voto, ante 34,5% de Bolsonaro. Na comparação com a sondagem anterior, de julho, Lula e Bolsonaro oscilaram dentro da margem de erro, indicando estabilidade. Há dois meses, o petista registrou 39,1% e o atual presidente, 35,9%.

O ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) aparece em terceiro lugar nos três cenários. No que tem dez candidatos, ele marca 7,8% – ante 6,2% em julho –, à frente dos governadores de São Paulo, João Doria, e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que têm 3,1% e 2,6%, respectivamente. Os dois deverão disputar as prévias do PSDB em novembro para definir quem representará a legenda nas urnas.

  • Para 56%, atos de 7 de Setembro não têm justificativa

No cenário com apenas quatro candidatos, Lula vai a 42,6% e Bolsonaro, a 35,4%. Ciro chega a 9,3% e Doria, a 6,6%. Responderam estar indecisos ou dispostos a votar em branco ou nulo 6,1%.

No cenário em que Doria é substituído por Leite, o gaúcho atinge 5,8%, Ciro chega a 10,3%, e Lula e Bolsonaro mantêm desempenhos semelhantes – 42,5% e 35,3%, respectivamente. Indecisos, votos em branco e nulos repetem os 6,1%.

Nos cenários de segundo turno, Bolsonaro seria derrotado por Lula (52,5% a 35,9%) e Ciro (46,3% a 36,1%). Também aparece atrás, mas dentro da margem de erro, de Doria e do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), e à frente de Leite e do ex-ministro da Justiça Sergio Moro (sem partido).

O instituto também perguntou ao eleitor se ele tem uma imagem positiva ou negativa de alguns líderes políticos. A imagem de Bolsonaro segue negativa para a maioria do eleitorado – passou de 62% em julho para 63% agora. Quando essa análise começou a ser feita, em maio de 2019, o presidente tinha imagem negativa para 46% e positiva para 47%. De lá para cá, a primeira tem se mantido superior à segunda.

Outras lideranças políticas tem desempenho melhor, com taxas negativas menores que a de Bolsonaro. A de Lula, por exemplo, está em 48%, a de Ciro, em 47%, e a de Doria, em 55%. O petista é quem tem a maior taxa de imagem positiva (46). Neste quesito, Bolsonaro empata com o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), ambos com 35%.

O Instituto Atlas coletou respostas de 3.146 pessoas por meio de questionário online, entre 30 de agosto e 4 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Por meio de anúncio publicitário, a consultoria dispara milhares de convites aleatoriamente para internautas da área a ser investigada. Ao clicar no convite, o eleitor é direcionado ao questionário do estudo. Segundo o instituto, mecanismos de segurança impedem que o respondente repasse a pesquisa a outras pessoas ou preencha mais de uma vez.

A amostra depois é estratificada para representar adequadamente o perfil da população brasileira adulta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *