Inflação afeta comércio e traz dúvidas sobre capacidade de reação, diz CNC

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

06/10/2021

A inflação afetou o resultado do comércio em agosto e traz dúvidas sobre a capacidade de o setor sustentar o ritmo de reação nos próximos meses. A análise é do economista sênior da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) Fabio Bentes, que reduziu a projeção para o desempenho do varejo em 2021 de um crescimento de 4,9% para 4,6%. Em 2020, a variação foi de 1,2%.

“A maior queda das vendas para meses de agosto desde 2000 evidencia impactos da inflação sobre o setor. […] A resiliência do nível geral de preços tem se constituído em um obstáculo ao ritmo de crescimento das vendas”, aponta o economista.

Ele lembra que o resultado negativo das vendas de agosto coincide com a maior taxa mensal de inflação de produtos comercializáveis em 20 anos, o que “lança dúvidas sobre a capacidade do varejo em sustentar o ritmo de reação apenas com base na queda do isolamento social esperada para os próximos meses”.

Sua avaliação, no entanto, é que ainda há de se esperar um efeito positivo do avanço da vacinação e da redução do isolamento no consumo presencial, em alta desde abril deste ano, após a segunda onda da pandemia. “A tendência de normalização do consumo presencial ainda tende a contrabalançar os impactos da inflação sobre as vendas do comércio”, afirma ele.

Levantamento da CNC que acompanha o fluxo diário dos consumidores em estabelecimentos de bens de consumo essenciais apontou para frequência maior nos primeiros dias do mês, o que sugere uma antecipação de compras pelo consumidor. “Nos meses de agosto e setembro foram frequentes os dias em que o fluxo de consumidores superou em, pelo menos, 10% a média diária mensal. […]Esse comportamento do preço médio de bens de consumo essenciais, ressuscitou nos últimos meses o hábito de antecipação de compras por parte dos consumidores”, diz Bentes.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *