Ibovespa tem recuperação com foco em balanços

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

06/08/2021

Os investidores deixaram momentaneamente de lado tensões políticas e ruídos fiscais em Brasília e focaram nos bons resultados corporativos divulgados até o momento pelas principais companhias brasileiras. Assim, o Ibovespa teve um dia de recuperação, terminando o pregão em alta firme de 0,97%, aos 122.810,97 pontos, acumulando ganhos de 0,83% na semana. Nas máximas do dia o índice marcou 123.287 pontos, em valorização de 1,35% e, nas mínimas, oscilou para o negativo, aos 121.568 pontos. O volume financeiro foi de R$ 17,76 bilhões.

Ventos favoráveis do exterior ajudaram os negócios locais, após os Estados Unidos terem criado 943 mil vagas de emprego em julho, de acordo com o relatório oficial do Departamento do Trabalho americano, conhecido como payroll. O total do mês de junho foi revisado para 938 mil novos empregos, de 850 mil na divulgação anterior. Dow Jones e o S&P 500 fecharam o dia em alta de 0,41% e 0,17%, respectivamente.

Mas o clima para ativos de risco ainda parecia negativo no início do pregão, quando os atritos entre os poderes em Brasília seguiam pesando para a bolsa. Profissionais do mercado relataram que houve um alívio quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) fez uma declaração conciliatória, diminuindo um pouco a temperatura das discussões.

“Vimos ontem, no fim da sessão, os futuros do Ibovespa recuarem bastante com as declarações que o Bolsonaro tinha dado e que culminaram com o cancelamento da reunião entre os líderes dos três poderes. Nesse sentido, uma fala conciliatória foi interessante para apaziguar os ânimos”, afirmou o analista da Guide Investimentos, Henrique Esteter.

A melhora no humor permitiu que os investidores voltassem às atenções aos resultados corporativos do segundo trimestre. “Ontem, foi um dia que deu tudo errado no noticiário político e econômico em Brasília, e mesmo assim, as ações da Petrobras subiram 9%”, disse um gestor de renda variável. “Os fundamentos das empresas estão fortes, apesar dos ruídos políticos, e acredito que esse fator deva prevalecer”, afirmou.

Na mesma linha, o chefe de renda variável da Valor Investimentos, Romero Oliveira afirmou que, apesar dos riscos políticos e fiscais seguirem provocando volatilidade, as empresas locais vêm cumprindo o seu papel e entregando lucros robustos, mantendo o clima positivo para os ativos locais.

“O mercado está nesse momento de foco no risco político, mas, no fim do dia, a bolsa é lucro e as empresas estão fazendo o trabalho delas”, afirma Oliveira. Ele vê com interesse especial as empresas ligadas ao mercado interno, como bancos, construtoras e varejo, que podem ainda se beneficiar da reabertura econômica.

O setor financeiro, que, de maneira geral, reportou resultados robustos no trimestre anterior, puxou os ganhos do índice nesta sexta-feira. “Os resultados, com a exceção do Bradesco, vieram bem positivos, com provisões bem menores do que o mercado esperava. Além disso, o ciclo altista das taxas de juros também é favorável para o setor”, disse Esteter, da Guide.

Assim, as ações do Banco do Brasil ON subiram 3,05%, enquanto os papéis do PN do Itaú avançaram 2,80% e do Bradesco tiveram ganhos de 2,20%. As units do Santander anotaram alta de 3,97%.

A Vale ON, após encerrar o pregão da véspera em queda de mais de 3%, subiu 0,57%, esboçando recuperação. No sentido contrário, as ações ON da Petrobras, que subiram mais de 9% na véspera, encerraram o dia em baixa de 0,79%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *