Ibovespa sobe com melhora no exterior e puxado por Petrobras e bancos

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

05/10/2021

Depois de perder 2,22% no pregão anterior e enfrentar volatilidade nesta manhã, o Ibovespa firmou tendência de alta no início da tarde, aproveitando a recuperação do mercado internacional.

Às 13h40, o Ibovespa avançava 1,07%, aos 111.578 pontos. Enquanto isso, Dow Jones subia 1,15% e o S&P 500 marcava 1,35%.

Entre as maiores altas locais, bancos e commodities, principalmente petróleo e proteína animal, puxavam o índice para cima.

PetroRio avançava 4,14%, enquanto Petrobras ON subia 2,35% e Petrobras PN crescia 2,08%. “O Brent está refletindo o otimismo do mercado de petróleo, o que traz valorização para os ativos do setor”, diz Danielle Lopes, sócia da Nord Research.

“Nessa linha, a Petrobras pode se beneficiar, claro, mas o maior risco está em uma possível intervenção do governo nos preços. Inclusive, o mercado está super otimista com o terceiro trimestre da companhia, mas aponta para uma possível queda no quarto, imaginando um cenário eleitoral mais afunilado, com medidas mais populistas.” Isso porque a manutenção dos preços do petróleo e gás natural em alta aumenta a incerteza em relação ao cenário de inflação em todo o globo.

Entre os bancos, Santander units subia 2,97%, Bradesco PN ganhava 2,60%, Itaú PN avançava 3,78%. “Com os dados macroeconômicos demonstrando fraqueza, trata-se uma procura por ações cíclicas, que tendem a se beneficiar com os preços já descontados”, diz Rodrigo Franchini, sócio da Monte Bravo Investimentos.

Ainda no setor financeiro, e após sucessivas quedas, as ações do Banco Inter ensaiavam alguma reação: as PN saltavam 2,12% e as units cresciam 1,88%. Em relatório divulgado hoje, o Bank of America reforçou sua recomendação de compra dos papéis.

“As tendências operacionais permaneceram sólidas no terceiro trimestre, demonstrando a capacidade da administração em aumentar a base de clientes e aprimorar o engajamento, mantendo a qualidade dos ativos sob controle. Vemos a recente fraqueza do preço das ações criando um ponto de entrada atraente e mantendo nossa recomendação de compra”, diz o texto.

As commodities metálicas também passavam a apontar para cima no início da tarde, mas forma mais tímida. Vale ON ganhava 0,10%, Usiminas PNA subia 1,44%, CSN ON avançava 0,97% e Gerdau PN oscilava positivamente em 0,92%.

“Apesar dessa leve recuperação, o clima de aversão a riscos permanece a nível global. Principalmente quando levamos em conta o risco de estagflação para várias economias. Localmente, o dado de produção industrial veio abaixo do esperado, o que pode culminar na redução da expectativa de PIB para 2021 e 2022”, diz Flávio de Oliveira, head de renda variável da Zahl Investimentos.

A produção industrial do país recuou, em agosto, 0,7% relação ao mês anterior (28 instituições financeiras e consultorias ouvidas pelo Valor Data esperavam, em média, queda de 0,4%). É a terceira queda mensal seguida na série com ajuste sazonal, período no qual acumula perda de 2,3%. Em julho, o indicador teve queda de 1,2% na série com ajuste sazonal, após dado revisado (era recuo de 1,3%).

Em termos de juros, e por volta das 12h35, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 operava estável contra o ajuste anterior, a 7,24%, enquanto a do DI para janeiro de 2023 variava de 9,21% para 9,265%.

Em vencimentos mais longos, o juro do DI para janeiro de 2025 subia de 10,225% para 10,27% e o do DI para janeiro de 2027 tinha alta de 10,61% para 10,65%.

No mesmo horário, o juro do Treasury de dez anos subia de 1,482% no fechamento anterior para 1,53%, revisitando os maiores patamares desde junho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *