Ibovespa apaga queda e passa a subir sob influência do vencimento de opções

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

18/08/2021

O Ibovespa apagou totalmente a queda exibida desde a abertura do pregão, e passou ser negociada em alta, tentando se firmar no terreno positivo um dia depois de perder importantes níveis de pontuação. A melhora da bolsa brasileira está relacionada a mais um fator técnico neste dia de vencimento de opções sobre Ibovespa e de índice futuro.

Às 14h22, o Ibovespa avançava 0,52%, aos 118.511 pontos, colado à pontuação máxima do dia, aos 118.613, depois de vir novamente abaixo dos 117 mil pontos, na mínima da sessão, aos 116.489 pontos, voltando a testar a média móvel de 200 dias (MM200), por onde passa a tendência de alta da bolsa no longo prazo. O volume financeiro estava em R$ 16 bilhões, com projeção de chegar a R$ 30 bilhões no fim do dia.

Operadores das mesas de renda variável e derivativos lembram que o ajuste na bolsa para a liquidação das opções e do índice é calculado pelas últimas três horas do pregão. “Não se pode esquecer que ainda tem a ata do Fed”, emenda um profissional, de uma corretora nacional, referindo-se ao documento referente à última reunião do Federal Reserve (Fed, banco central americano), que será publicada logo mais (15h), e que pode trazer novidades sobre o debate em relação à retirada de estímulos monetários.

Ele lembra que no último vencimento de opções sobre o índice e do índice futuro, em junho, o giro financeiro da bolsa superou R$ 90 bilhões. Dados da B3 mostram que a série com maior posição em aberto (descoberto) entre as opções de compra é a de 125 mil pontos, enquanto a maior trava (proteção) entre as opções de venda é a de 120 mil pontos.

“Ou seja, quem comprou a [opção] em 125 mil tem o direito de exercer nesse preço, mas não vai conseguir. Então, quem vendeu [a opção] nessa série ganhou e põe o prêmio no bolso”, explica outro operador, que também preferiu não ser identificado.

Ainda assim, operadores não descartavam movimentos pontuais de recuperação da renda variável local, mas ressaltam que depois de testar a MM200 na terça-feira, a tendência de queda do Ibovespa deve ganhar força. “Qualquer sinal de fuga é respiro”, emenda o chefe da mesa de derivaivos de uma corretora nacional.

Graficamente, a análise técnica do Itaú BBA mostra que após o Ibovespa testar o suporte próximo da MM200, a próxima defesa estará em 114,9 mil pontos. “Do lado da alta, o índice tem resistência inicial em 121,3 mil pontos”, afirma o analista Fábio Perina, em relatório.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *