Hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste devem chegar ao final do mês com capacidade de 21,7%, diz ONS

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

20/08/2021

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê que os reservatórios das hidrelétricas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste devem chegar ao final do mês de agosto com capacidade de 21,7%. A previsão está na atualização semanal do boletim mensal de operação, publicada na tarde de desta sexta-feira (20). O Brasil vive o período seco com o menor volume de chuvas dos últimos 91 anos.

Segundo o documento, a expectativa é que os reservatórios encerrem o mês com capacidade de 26,8% no Sul, 49% no Nordeste e 72,4% no Norte. Houve melhora nas projeções para os volumes nas regiões Nordeste e Sul em relação à atualização da semana passada.

Com isso, o ONS destaca que a atualização da previsão de vazões, além do aumento da disponibilidade de diversas usinas, vai levar a uma queda no custo marginal de operação. O valor deve cair 19,53% na próxima semana, nas regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte, passando a custar R$ 2.449,89 por megawatt hora (MWh) em comparação aos R$ R$ 3.044,45/MWh da semana que se encerra. Para o subsistema Nordeste, a redução será de 20,98%, saindo do patamar de R$ R$3.044,45/MWh para R$ 2.405,76/MWh.

Em paralelo, o órgão projeta que a demanda por energia no Sistema Interligado Nacional (SIN) deve continuar a crescer. A previsão é que a carga vai chegar a 66.838 megawatts médios (MWm) em agosto, alta de 3,4% em relação a igual mês em 2020. Segundo o ONS, o crescimento reflete o avanço da vacinação para conter a pandemia, a diminuição de restrições e a retomada da economia.

“O aumento recorde das vendas internacionais também tem estimulado a criação de empregos e o setor industrial, principalmente, nas indústrias de exportação”, afirma o órgão, em nota.

O maior crescimento na demanda está previsto para o Nordeste, com uma alta de 7,4% na carga na comparação anual, para 11.089 MWm. No Sul, a previsão é de um volume de 11.619 MWm, aumento de 5,5%, enquanto no Norte, a expectativa é que a carga chegue a 6.080 MWm, alta de 4,2%. No Sudeste/Centro-Oeste, o volume deve crescer 1,6%, para 38.051 MWm.

Categorias:

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *