Governo tem buscado recursos para aumentar pontos de internet instalados no país, diz secretário

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

21/09/2021

O setor de satélites é fundamental para funcionamento de programas de acesso à internet em regiões distantes de grandes centros do país. A análise partiu do secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Arthur Coimbra, no Painel Telebrasil 2021, evento de telecomunicações organizado pela Conexis Brasil Digital, sindicato das companhias de telecomunicações.

No evento virtual, o secretário fez um retrospecto sobre o avanço do setor de satélites no país nos últimos anos, bem como mudanças no arcabouço regulatório que permitiram maior acesso de investimentos pela iniciativa privada.

Na prática, comentou o secretário, as mudanças em leis relacionadas ao setor permitiram menos custo à iniciativa privada, com redução de valores de taxas e de contribuições. Isso porque o governo entende importância do setor, no país. “Essa importância dos satélites tem ficado cada vez mais clara nos últimos anos”, afirmou ele.

Leia mais: Desafio do 5G no país é universalizar acesso, dizem associações de satélites

Como exemplo, citou o Programa Wi-Fi Brasil, de inclusão digital baseado em satélite. Em setembro, o Governo Federal informou ter instalado cerca de 14 mil pontos de internet no país, por meio desse programa. Do total, 50% são localizados na região Nordeste; 30% na região Norte, com pontos atendendo em torno de 9.000 escolas rurais e 1.000 escolas urbanas, e quase 500 comunidades indígenas.

“Os pontos não são somente custeados pelo Ministério das Comunicações como também por outros ministérios”, observou.

Ao ser questionado se o Wi-Fi Brasil pode dobrar pontos instalados de internet, ele informou que o governo tem buscado recursos, fazendo consultas a agentes de mercado e ao Tribunal de Contas da União (TCU), no sentido de rever contratos antigos relacionados aos pontos de internet já instalados, para desenvolver mais o programa no país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *