Governo inicia segunda etapa de vacinação contra PSC com o intuito de acabar com a doença

Também conhecida simplesmente como febre suína, a doença é viral e altamente contagiosa, mas afeta apenas os suínos.

22/03/2022

Governo inicia segunda etapa de vacinação contra PSC com o intuito de acabar com a doença Há 38 anos o Brasil não registra nenhum caso da doença. (Foto: Agência Brasil)

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) junto com setores da iniciativa privada começaram uma nova etapa de vacinação contra a peste suína clássica (PSC) na última segunda-feira (21) com a expectativa de imunizar 120 mil suínos.

A aplicação será feita por 120 vacinadores contratados pela iniciativa privada, os recursos do projeto piloto são resultado da parceria público-privada e somam R$ 2 MI.

A PSC, também conhecida como febre suína, é uma doença viral e contagiosa, não sendo transmissível a humanos. Os sintomas envolvem Febre, falta de apetite, fraqueza, diarreia, conjuntivite e até aborto.

Onze estados fazem parte da zona não livre da doença no país. São eles: Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Roraima. O objetivo da pasta é erradicar a doença nesses estados.

Zonas Livres

As chamadas zonas livres são reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). No Brasil, as zonas livres concentram mais de 95% de toda a indústria suína nacional.

Toda a exportação de suínos e seus produtos vêm dessa região que não registra um caso da doença desde janeiro de 1998. Ela é composta por 15 estados, sendo eles: Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins, além do Distrito Federal.

Segundo o ministério, as zonas livre e não livre de PSC no Brasil têm os limites protegidos por barreiras naturais e postos de fiscalização, onde procedimentos de vigilância e mitigação de risco são adotados continuamente para evitar a introdução da doença.

Da redação com informações do Canal Rural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.