Gol, Latam e Itapemirim adotam vacinação obrigatória para funcionários

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

06/10/2021

Diante de um esforço para conter a covid-19 entre seus funcionários, Gol, Latam Brasil, Voepass e Itapemirim, integrantes da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), adotaram a vacinação obrigatória contra a doença para todos os funcionários. A Gol é uma das aéreas que já havia anunciado a obrigatoriedade em meados de agosto.

A Azul não faz parte da Abear e não tem política obrigando seus funcionários a se vacinarem – embora tenha dito recentemente que parte significativa dos seus funcionários aderiram voluntariamente à campanha.

Segundo a Abear, a medida tem o objetivo de ampliar os protocolos sanitários para garantir a segurança e bem-estar de todos os passageiros e colaboradores. Há prazos diferentes para a implementação dessa medida entre cada companhia, mas em geral a regra começa a valer até o fim de 2021, segundo a associação.

Leia mais: Perdas de aéreas por Covid superam US$ 200 bilhões, segundo a IATA

“Essa é uma iniciativa importante para garantir a segurança sanitária de todos os colaboradores e, consequentemente, dos passageiros. As associadas Abear farão um trabalho interno de mobilização e conscientização da importância da imunização. É também mais uma medida para proporcionar uma retomada consistente do setor”, disse.

O tema da obrigatoriedade de vacina é algo complexo ao redor do mundo, mas por aqui conseguiu respaldo da Justiça. Nos Estados Unidos, o governo tem travado uma batalha para convencer parcela significativa dos adultos que se negam a se imunizar. No caso do Brasil, apesar de movimentos que desestimulam a vacinação (como o fato de o próprio presidente da República, Jair Bolsonaro, não ter se vacinado), o brasileiro tem aderido à campanha

As aéreas têm adotado uma postura ativa nos esforços de combate à pandemia e já transportaram gratuitamente 200 milhões de vacinas, 7,5 mil profissionais da saúde e repatriaram 42 mil brasileiros que ficaram impedidos de voltar ao Brasil logo no início do fechamento de fronteiras, segundo dados da Abear.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *