Frigoríficos do Mato Grosso estão operando com apenas 60% da capacidade

A informação é do Instituto de Economia Agrícola do Estado, Imea

27/10/2021

Frigoríficos do Mato Grosso estão operando com apenas 60% da capacidade Frigoríficos do Mato Grosso operaram em setembro com apenas 60% da capacidade (Foto: Pixabay)

O Instituto Mato-Grossense de Economia (Imea) informa que a taxa de utilização dos frigoríficos no estado caiu 14,95% entre agosto e setembro deste ano, caindo para 60,99%, o menor patamar desde 2010, informa o site CarneTec. O Mato Grosso é o estado com o maior rebanho bovino brasileiro.

O Imea indica que a queda é resultado da suspensão das exportações de carne bovina para a China há 50 dias, após a constatação de dois casos da doença da vaca louca (Encefalopatia Espongiforme Bovina – EEB) no rebanho nacional. Mesmo após a informação da Organização Mundial de Saúde Animal afirmar que eles não representam perigo, a situação ainda não está clara entre os dois países sobre o assunto.

Um relatório do Imea aponta que “com a demanda externa reduzida, devido à suspensão da China, e o baixo escoamento da proteína no mercado interno, estoques foram formados nas intermediações industriais e os frigoríficos passaram a pressionar as cotações da arroba desde setembro em Mato Grosso”.

Os pecuaristas estão segurando as boiadas no pasto, esperando melhor momento para o abate, que caiu 30% em setembro. Enquanto isso, aguarda a regularização dos embarques para a o nosso maior importador. Por ora, diz o CarneTec, “a suspensão continua válida, frustrando a expectativa do setor”.

O Instituto especula o que deve ser feito com a carne estocada. “Sem a previsão de retorno das compras do mercado chinês, somado com a concentração de maior oferta dos animais confinados previstos para outubro, o cenário fica incerto sobre o destino que as indústrias darão para a carne já processada”, deduz.

Nesta terça-feira (26) o setor teve uma boa notícia. A analista de mercado da consultoria Agrifatto, Lygia Pimentel, informou que a aduana de Xangai liberou a primeira carga de carne bovina brasileira desde o início da suspensão, 4 de setembro.

A consultora escreveu: “A carne foi certificada em 26/08 e embarcada em 10/09. Esse pode ser um sinal de que outros serão liberados. Entretanto, é necessário cautela, pois há outros 21 pedidos na fila que ainda podem ser negados”.

“O lote liberado é oriundo do Tocantins, há chance de que os de Mato Grosso sejam bloqueados. Os lotes serão analisados caso a caso”, acredita, segundo o CarneTec.

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *