Exportações de carne de frango crescem 9% em 2021 e somam 4,6 milhões de toneladas

Setor também registrou crescimento de 25,7% em receita, com US$ 7,66 bilhões no ano passado.

07/01/2022

Exportações de carne de frango crescem 9% em 2021 e somam 4,6 milhões de toneladas Cepas presentes no produto são capazes de melhorar a funcionalidade do trato gastrointestinal das aves. (Foto: Divulgação)

Os embarques brasileiros de produtos de carne de frango (in natura e processados) cresceram 9% em volume em 2021, totalizando 4,6 milhões de toneladas, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). A entidade afirma que este foi o maior volume já registrado pelo setor em um único ano. Segundo o levantamento, o número superou o total exportado pelo Brasil em 2020, quando foram embarcadas 4,23 milhões de toneladas.

Além de maior volume, o setor também registou aumento de 25,7% em receita, com US$ 7,66 bilhões registrados ao longo dos 12 meses de 2021, contra US$ 6,09 bilhões em 2020.

Ainda conforme a ABPA, quando considerado somente o mês de dezembro, as exportações de carne de frango totalizaram 411 mil toneladas, número 7,7% superior ao registrado no último mês de 2020, com 381,7 mil toneladas. Em receita, houve elevação de 29,9%, com US$ 718,9 milhões registrados em dezembro de 2021, contra US$ 533,3 milhões no ano anterior.  

Mercados compradores

Os mercados da Ásia, da África e da Europa mantiveram a alta das exportações brasileiras no ano passado. Principal destino das exportações de carne de frango do Brasil, a Ásia importou 1,64 milhão de toneladas nos 12 meses de 2021, resultado 0,5% superior ao registrado no mesmo período de 2020. A China continua como principal importador (com 14,3% do total) e importou 640 mil toneladas (-4,86%). Outros destaques da região foram Japão e Filipinas, que importaram, respectivamente, 448,9 mil toneladas (+9,35%) e 168 mil toneladas (+180%).  Já para a África foram destinadas 662,3 mil toneladas ao longo do ano, resultado 19,2% maior em relação a 2020. Um dos destaques foi a África do Sul, com 297 mil toneladas (+13,39%).

O presidente da ABPA, Ricardo Santin, disse que as exportações foram fundamentais para minimizar as perdas causadas pela alta nos custos de produção. “Essas altas [no custo de produção] foram ocasionadas pela alta histórica do milho e da soja, principais insumos de produção da carne de frango. Apesar de uma leve redução nas importações, a China se mantém como o principal destino das exportações do setor e deve se manter no posto durante o próximo ano. Outros importantes parceiros comerciais como o Japão e os Emirados Árabes Unidos também devem se manter entre os maiores compradores”, analisa Santin.

Para a União Europeia foram exportadas 193,2 mil toneladas em 2021, volume 13,23% superior ao realizado no mesmo período de 2020.Já para os países Extra-UE foram embarcadas no ano passado 243 mil toneladas, número 20,5% maior em relação ao efetivado no mesmo período de 2020. A Rússia é o destaque da região, com 105,9 mil toneladas (+26,24%). Outro destaque da região foi o Reino Unido, que importou 92,7 mil toneladas (+14%).

Para os países do Oriente Médio foram exportadas 1,33 milhão de toneladas nos 12 meses de 2021, número 0,3% menor em relação ao mesmo período de 2020. Emirados Árabes, Arábia Saudita e o Iêmen importaram, respectivamente, 389,5 mil toneladas (+28,54%). 353,5 mil toneladas (-24,4%) e 111,9 mil toneladas (-0,5%).

Por fim, para os países da América foram embarcadas 394,4 mil toneladas em 2021, número 75,2% maior em relação ao efetivado no ano interior.

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.