Exportação do agronegócio teve o melhor agosto da história

O levantamento é do Ministério da Agricultura e Abastecimento

14/09/2021

Exportação do agronegócio teve o melhor agosto da história Agronegócio brasileiro teve o melhor agosto da história na exportações (Foto: Governo Brasileiro)

Levantamento do Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA) mostra que o agronegócio brasileiro teve o melhor agosto da sua história. Bons preços elevaram as receitas em 26,7% batendo em US$ 10,90 bilhões, informou nesta terça-feira (14) o Ministério da Agricultura, relata o site MoneyTimes.

Ainda segundo o MAPA, apenas em 2013 as exportações brasileiras do agronegócio bateram em US$ 10 bilhões em agosto. As importações do setor agrícola também cresceram em agosto. Aumentaram em 37,2% com o desencaixe de US$ 1,25 bilhão. Nesse caso, foram fundamentais as exortações de trigo e óleo de palma.

Todos os principais produtos da pauta de exportação do agronegócio brasileiro tiveram bom desempenho. O complexo soja, que comporta o grão, o farelo e o óleo, alcançaram a divisa de US$ 4 bilhões em 30 dias, uma alta significativa de 53,6%, em relação ao mesmo período do ano passado.

Produtos florestais aumentaram as exportações em 40,5% com um volume nominal de US% 1,25 bilhão. Nesse item, a celulose foi puxador das vendas com US$ 610,67 milhões. No caso as vendas de celulose cresceram 47,2% na comparação com agosto do ano passado.

As carnes também foram um item importante no total das receitas exportadas. Vendemos para o exterior mais 40,5%, um valor nominal de US$ 2,09 bilhões. O volume exportado ficou em 1,35 milhão de toneladas, a maior para agosto desde 1997.

Segundo o Ministério, os preços das carnes aumentaram 34,8%. O volume embarcado também. Ficou 4,2% maior do que o exportado em agosto do ano passado. As variações se deram por causa da oferta, da demanda e dos custos de produção mundial.

O MoneyTimes afirma que “a carne bovina, principal proteína animal exportada pelo país, totalizou 1,17 bilhão de dólares em agosto de 2021 (+55,6%). Os volumes cresceram 10,1%”.

 

Da Redação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *