Em discurso na ONU, Bolsonaro defende liberdade para “utilizar terras para agricultura”

Testes, férias coletivas e outras medidas compõem o Plano de Contingência da empresa para prevenção, controle e redução de riscos de contágio

21/09/2021

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) que uma área de mais de 110 milhões de hectares, ou seja, uma Alemanha e França juntos, é destinada as reservas indígenas no país e defendeu liberdade para “utilizar terras para agricultura”.

  • Leia o discurso na íntegra do presidente Jair Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga o marco temporal para a demarcação das terras indígenas. Por enquanto, o placar está empatado em 1 a 1 e teve pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes. Não há data prevista para que o caso volte à pauta.

O presidente disse ainda que o Brasil sempre acolheu refugiados, como na fronteira da Venezuela. Segundo ele, 400 mil venezuelanos já foram recebidos devido à ditadura bolivariana. Ele ressaltou ainda que o futuro do Afeganistão causa preocupação e que está disposto a receber cristãos, mulheres e crianças afegãs no Brasil.

Ele lembrou ainda os atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos e ressaltou o repúdio com relação ao terrorismo. Ressaltou que em 2022 o país voltará a ter um assento no Conselho de Segurança da ONU, o que é reflexo de “política séria” de seu governo.

O presidente ainda lembrou que, no 7 de setembro no Brasil, “milhões de brasileiros foram às ruas mostrar que não abrem mão de liberdade e em apoio a nosso governo”. Ele ressaltou ainda que o Brasil vive novos tempos na economia e tem um dos melhores desempenhos entre os emergentes. “Meu governo retomou a confiança externa”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *