Dólar tem a sexta queda seguida e fecha em R$ 4,84, menor valor desde março de 2020

Bolsa resistiu á queda no exterior e fechou com pequena alta.

24/03/2022

Dólar tem a sexta queda seguida e fecha em R$ 4,84, menor valor desde março de 2020 Dólar tem a sexta queda seguida e acumula perdas de mais de 6% no ano (Foto: Agência Brasil)

O preço do dólar caiu nesta quarta-feira e chegou ao valor mais baixo desde março de 2020. Analistas dizem que o movimento se deve aos altos preços das commodities pressionados pela guerra na Ucrânia e pelos juros praticados no Brasil na tentativa de segurar a alta da inflação. A bolsa de valores resistiu às pressões externas e fechou em leve alta. As informações são da Agência Brasil.

Nesta quarta-feira (23), o dólar foi vendido a R$ 4,844. Uma queda de R$ 0,071 (-1,84%). A cotação abriu próxima da estabilidade, mas despencou após a abertura do mercado norte-americano, até fechar próxima da mínima do dia.

É a sexta queda seguida da moeda norte-americana. Ela não era cotada a esse valor desde 13 de março de 2020. Naquele dia ele ficou em R$ 4,81. Com o desempenho desta quarta-feira, ela acumula queda de 6,04% em março e de 13,12% neste ano.

No mercado de ações, o dia foi mais instável. O índice Ibovespa, da B3, chegou a subir quase 1% por volta das 12h, mas desacelerou, influenciado pelo mercado externo, e fechou aos 117.457 pontos, com alta de 0,16%. Apesar de as bolsas norte-americanas terem caído, ações de petroleiras e de varejistas seguraram o indicador brasileiro.

Dois fatores contribuíram para manter a entrada de capitais externos no Brasil. O primeiro foram os juros altos no Brasil. Atualmente em 11,75% ao ano, a taxa Selic (juros básicos da economia) está no maior nível desde abril de 2017 e deve subir mais 1 ponto na próxima reunião, em maio. As taxas altas mantêm o interesse dos investidores que buscam aplicar recursos em mercados de maior risco, como países emergentes.

O segundo fator decorre de um efeito indireto da guerra entre Rússia e Ucrânia: a disparada das commodities. Os preços mais altos estimulam a entrada de divisas em países exportadores de produtos agrícolas e ambientais, como o Brasil. Na quarta-feira, a cotação do barril de petróleo do tipo Brent (usado nas negociações internacionais) voltou a subir e fechou em US$ 120.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.